Lei de Talião?

Não tenho opinião formada sobre as acusações sobre a prática de crimes sexuais na Suécia que pendem sobre Julian Assange. Não faço ideia sobre se é culpado, ou sobre se é inocente, sobre se os factos que lhe imputam são verídicos ou não.

Há uma ironia particular em que tenha sido o “The Guardian” a dar à estampa os documentos do processo judicial em causa - é que se trata de um dos jornais que contratualizou com o mesmo Assange a divulgação dos 250.000 documentos de que tanto se fala e continuará a falar durante muito tempo. Olha que ingratos, nem agradecem o privilégio! Pois, a um exclusivo parece que se “responde” com outro exclusivo. E a “casa” agradece…

Sobre a Lei de Talião

Porém, o mais espectacular nisto tudo é que aquele que é considerado por muitos como o Supremo Líder da liberdade de informação global venha agora, tratando-se do seu caso, invocar que essa liberdade de informação estará a ser mal aplicada e instrumentalizada – em seu prejuízo, como seria de esperar. Criticou, com efeito, que as autoridades suecas tenham leaked ao The Guardian os documentos que este divulgou, qualificando tal comportamento como “fugas maliciosas de informação“. Leako eu, é bom. Leakam-me, é mau?

About these ads
Esta entrada foi publicada em Sociedade. ligação permanente.