Prendas e prendas

 As declarações de Jorge Sampaio no Tribunal Central de Instrução Criminal, em Lisboa, onde foi ouvido no âmbito do processo “Face oculta” como testemunha do ex-presidente da REN, José Penedos, passaram quase despercebidas. Mas não devem passar porque representam uma “pedrada no charco”. Vejamos: 

Questionado pelos jornalistas sobre o recebimento de presentes – uma das questões de que  é acusado José Penedos – Jorge Sampaio referiu: “Há presentes e presentes. Recebi centenas e ninguém pode dizer que influenciaram qualquer das minhas decisões, (…)  a maior parte dos presentes são mera cortesia (…) quem é influenciado e afectado por eles, é porque não tem capacidade moral”.         

Recorde-se que a divulgação, em Outubro passado, pelo semanário SOL, das prendas oferecidas pelo empresário Manuel Godinho a políticos, gestores públicos e outros funcionários do Estado” provocou grande alarido na imprensa, tendo merecido  descrições pormenorizadas dessas prendas, dos respectivos  preços, que iam de 75 a 1.669 euros, bem como dos seus destinatários, segundo as “listas” divulgadas. Nessas  listas figura o nome de José Sócrates como tendo recebido em 2004, pelo Natal, um “Decantador Herdade Prata” no valor de 668 euros, quando era apenas líder do PS (facto que esta notícia omitia).

Ainda segundo as notícias citadas, para o Ministério Público de Aveiro  essas listas “constituem uma das provas do «projecto delituoso» construído pelo empresário de Ovar para obter vantagens para as suas empresas”, sendo “além disso demonstrativo de uma teia de «cumplicidades», que estes presentes procuravam potenciar, a qual podia ir do primeiro-ministro ao chefe de segurança de um armazém de uma grande empresa“.  

Imagina-se a estupefacção dos procuradores e dos jornalistas quando ontem ouviram o ex-presidente Sampaio afirmar, com a maior naturalidade, que” as prendas de Natal [que recebeu] não cabiam em três salas. Era sempre a mesma coisa, mas, para mim, era absolutamente indiferente quem me estava a dar a prenda. (…) Nunca comprei uma caneta ou um relógio, mas nunca me senti minorado na minha honestidade por causa disso.”

Não se conhece a tipologia de classificação atribuída às “centenas” de  prendas oferecidas aos presidentes da república e aos chefes de governo por personalidades de toda a ordem, presumindo-se que caibam no conceito legal de «prendas socialmente adequadas e conformes aos usos e costumes». Mas à falta de uma definição clara desse conceito  seria útil que os critérios de “classificação das prendas” fossem coerentes.

Já agora: ver aqui como em matéria de prendas “os americanos não brincam em serviço”, (link recebido de Rosa Amaral)

Esta entrada foi publicada em Sociedade. ligação permanente.

11 respostas a Prendas e prendas

  1. Pingback: Levante o braço quem não tiver telhados de vidro | VAI E VEM

  2. Pingback: O Presidente e o chapéu Indiana Jones | VAI E VEM

  3. MJP diz:

    Sou professora. Posso receber prendas? Garanto que não interferirão nunca na minha avaliação dos alunos. Aconselho a que sejam anónimas. Cem alunos não dá três salas por isso nem se deve pôr a questão de poder vir a ser comprada.
    PS: Acho que as prendas se justificam pela simpatia, nunca na esperança da recompensa.

  4. skeptikos diz:

    Sr José António Salcedo, permita-me que sugira:
    (2) fariam leilões públicos com todas as pensões dos políticos a favor do país.
    http://www.cmjornal.xl.pt/noticia.aspx?channelId=00000181-0000-0000-0000-000000000181&contentId=F273A1EF-31FB-477F-AD8C-859F68303209

    E já agora porque não acabar com as 600 e muitas fundações que todos os precários deste país alimentam, bem como com os salários obscenos de gestores públicos e já que estamos verdadeiramente inspirados poderíamos também pedir contas aos “iluminados” deste (des)governo sobre:
    1) «A factura da electricidade e a sustentabilidade económica de Portugal»
    http://jornal.publico.pt/noticia/30-01-2011/a-factura-da-electricidade-e-a-sustentabilidade-economica-de-portugal-21160930.htm#Comente

    2) a farsa do «TGV»: http://sol.sapo.pt/inicio/Politica/Interior.aspx?content_id=10388

    3) «Governo cede dados dos BI portugueses aos Estados Unidos» http://www.dn.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1746961

  5. bruno diz:

    A senhora Estrela diz ^^Isso torna-os suspeitos de corrupção? ^^^ sobre a prendas recebidas por esses politicos . Evidentemente ..apesar de eu ser portugués como a senhora é , mas o meu sentido de dignidade e o facto de eu ter vivido a maior parte da vida no estrangeiro leva – me a concluir que desde logo nao temos a mesma ¨ cultura ¨. Desde a minha perspectiva , certos actos , talvez para si pequenos pormenores, coisas banais , sao actos e atitudes indignas de gente da politica e gestores de empresas…como receber prendas e muitas vezes envelopes por debaixo da mesa , robalos congelados , automoveis de emprestimo, jantaradas no Tavares ou receber informaçao previlegiada sobre acçoes de certos bancos , etc , etc . Obviamente falamos de Portugal, um pais onde abundam os analfabetos, politicos alarves , os novos ricos lambusoes , os programas televisivos para pategos, o Cristiano Ronaldo deus do universo e emblema nacional, o novo Vasco Da Gama , Mourinho o portugués Magnanimo, os intelectuais de café, os jornalistas vendidos, os bloguistas infectados de ¨¨partiditis ¨¨ aguda.. Eu até posso dizer que ¨¨¨nem sou daqui minha gente *** apenas vim ver a pategada votar , rir e lamber o rabo e comer as sobras dos poderosos.
    Contento-me com o sol ainda digno do minha aldeia.
    Respeituosamente

  6. Não há manipulação nenhuma. As”prendas” a que o ex-presidente Sampaio se referiu, bem como o ex-ministro das Finanças Catroga, foram recebidas durante o desempenho de funções públicas e incluem, como eles disseram publicamente, ofertas recebidas, por exemplo, pelo Natal e não apenas durante eventos oficiais nem oferecidas apenas por chefes de estado. Isso torna-os suspeitos de corrupção? Além disso, temos de ter em conta que há determinados conceitos que diferem segundo a cultura de cada País, por exemplo, o conceito de “corrupção” não é universal, se comparar a legislação sobre a matéria nos EUA e em Portugal verá as diferenças, pelo que há que ter cuidado com as comparações. Não sei de que informação dispõe sobre os “procedimentos éticos dos políticos portugueses” mas gostava de saber em que dados objectivos fundamenta a generalização de que os políticos portugueses não passariam no “teste” da ética nos EUA.

  7. bruno diz:

    Senhora Estrela nao confunda ou manipule os factos . Uma coisa sao prendas de Estado, um PR de França oferece ao PR de Portugal e vive versa, sao normas diplomáticamente aceites como cortesia entre altos cargos politicos das naçoes e outra coisa é um empresário de residuos e lixo oferecer prendas a politicos….que por sinal sao depois ou ao mesmo tempo gestores de empresas publicas que operam negocios com esses empresários . Sabe a senhora Estrela que nos Estados Unidos da América esssas ofertas estao proibidas. e deverao ser reportadas num relatorio anual chamado Business Ethics report. e digo-lhe mais , possivelmente muitos ( talvez a grande maioria ) dos politicos portugueses nunca passariam limpos ao teste feito com base nos procedimentos de ética em vigor nos USA.

  8. Caro leitor, respeito a sua opinião mas não posso concordar consigo. Nessa “gente” dos políticos a que se refere há gente séria e menos séria, como nos gestores e noutras categorias e funções. E devo dizer-lhe que entre a “gente” séria se encontra o ex-presidente Jorge Sampaio. Também tenho alguma experiência de contactos internacionais e não conheço país nenhum em que as figuras do Estado não recebem e ofereçam prendas em determinadas ocasiões, como sejam visitas de Estado e outras, prendas essas que na maior parte das vezes são mesmo simbólicas. É politicamente incorrecto talvez dizer que no enquadramento que lhe tem sido dado em Portugal, a discussão em torno das prendas é mesquinha.

  9. bruno diz:

    Eu trabalhei 30 anos numa empresa multinacional americana como gestor e sempre fora de Portugal . Por motivo de ética de negócios náo era permitido receber prendas. sempre recusei todas as prendas que me propunham, mesmo as de baixo valor ( pessoalmente sempre achei que era o correcto. As prendas no mundo dos negócios nunca se dao só por cortesia ). Acho indigno que um politico ou um gestor de uma empresa receba prendas….. essas da face oculta até devem cheirar a lixo. Pela resposta do senhor Sampaio ex PR vé-se logo que baixo nivel moral tem essa miseravel gente de politicos portugueses.

  10. A. Monchique diz:

    A mim o que me impressiona é ter ouvido o Jorge Sampaio que recebeu prendas em prata. Terei ouvido bem?

  11. José António Salcedo diz:

    Se os nossos políticos (e gestores públicos) tivessem um sentido mais apurado de ética, (1) nunca utilizariam prendas, e (2) fariam leilões públicos com todas as prendas a favor de pessoas necessitadas. Infelizmente, têm conceitos éticos deveras limitados.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s