O homem e a sua circunstância

 Sobre o orçamento para 2012, ouvem-se os discursos e conclui-se: a cada um o discurso da sua circunstância.

Cavaco Silva:  Presidente da República Portuguesa - Prof. Aníbal Cavaco Silva

A circunstância: longa carreira na administração pública  com cargos políticos e partidários, ex-ministro das Finanças, ex-líder do PSD, ex- primeiro ministro, professor de finanças.

O discurso:  dúvidas e críticas ao orçamento: «É certo que o programa de assistência financeira encerra dificuldades e sacrifícios que não podem ser ignorados e que suscitam várias questões. Desde logo, a interrogação sobre se os sacrifícios que estão a ser exigidos aos portugueses valem a pena, e se nos conduzem a bom porto».

Pedro Passos Coelho:   

A circunstância: carreira profissional no sector privado:Fominvest, SGPS,SA; HILC Tejo, SA; Ecoambiente, SA; Ribtejo, SA; Tecnidata, SPGS, SA; Adtech, SA; Tejo Ambiente, SA; ex-deputado; ex-líder da JSD. 

O discurso: implacável e insensível sobre consequências dos cortes na função pública: “o Orçamento do Estado para 2012 “prevê a eliminação dos subsídios de férias e de Natal para todos os vencimentos dos funcionários da Administração Pública e das empresas públicas acima de mil euros por mês.”

Manuela Ferreira Leite:Imagem de Manuela Ferreira Leite

A circunstância: carreira na administração pública, com cargos políticos e partidários, ex deputada, ex-ministra de Estado e das Finanças, ex-secretária de Estado, ex-líder do PSD.

O discurso: crítica aos cortes e defesa dos funcionários públicos: «Estou a pensar nos médicos, nos enfermeiros, professores, juízes, polícia, segurança, administração fiscal, em serviços que não são substituíveis e que o seu bom funcionamento contribui decisivamente para o crescimento económico» 

Vítor Gaspar: Vitor Gaspar

A circunstância: Gabinete de Conselheiros de Política Europeia (GCPE), na dependência da Comissão Europeia, Ministério das Finanças, (director de Estudos Económicos) Banco Central Europeu, como director-geral de Research. Professor. 

O discurso: troika e mais troika e nada mais para além da troika; prioridade à imagem de cumpridor para obter credibilidade perante a troika: “(…) de entre os aspectos do programa fundamentais estão os limites do défice e da dívida. Estes limites são compromissos prioritários das autoridades portuguesas. Estas estão comprometidas, desde o primeiro momento, a tomar as medidas adicionais que forem necessárias para cumprirem estes limites do programa”.

Não há dúvida: o homem é ele e a sua circunstância.

Esta entrada foi publicada em Política, Sociedade. ligação permanente.