Opinião tablóide

O Professor Marcelo não estava actualizado.Referindo-se às futuras eleições diretas na escolha dos candidatos socialistas a deputados, o comentador lamentou que «ganhe a lista que tiver mais votos, como no tempo do salazarismo».

Mas o professor enganou-se e grande parte da sua teoria foi por água abaixo. António José Seguro defendeu que o apuramento dos resultados das futuras eleições directas na escolha dos candidatos socialistas a deputados seja feito por método proporcional, assegurando pluralidade interna, e não através do sistema maioritário. 

A teoria da conspiração desenvolvida por Marcelo, baseada em dados pouco rigorosos levou o PS a reagir em comunicado, acusando-o de “mentir”. Vem aí um “direito de resposta” como se impõe e é de lei.   

O sensacionalismo invadiu o comentário político transformando os comentadores em agentes de um novo género de Opinião: a opinião tablóide.  

O professor tem desculpa: hoje foi dia das mentiras!

Esta entrada foi publicada em Comunicação e Política, Sociedade, Sociologia dos Média com as etiquetas . ligação permanente.

4 respostas a Opinião tablóide

  1. Vicente Silva diz:

    Puro veneno preparado por um especialista!…
    O facto é que no último programa da Quadratura do Circulo da quinta feira p.p.,por uma provável deficiência de informação e/ou explicitação,António Costa afirmou como sendo inédita a proposta agora apresentada e aprovada nas futuras eleições para a AR e que dela resultaria uma “luta de listas contra listas” sem referir o método de Hondt que, como sempre,foi utilizado nas mesmas circunstãncias.
    Ficou a ideia entre os outros dois comentadores residentes,expressa por um sorriso incrédulo, que a lista mais votada era eleita em bloco sem que fosse aplicado o referido método.
    Ora o professor,que não dorme em serviço,tratou de imediato explorar a gaffe de um provável adversário para as próximas presidenciais e com a mestria que lhe é reconhecida.
    António Costa terá que ser mais cauteloso nas suas afirmações públicas para não pôr em
    risco a sua promissora vida política.

  2. João Figueiredo diz:

    Mas no tempo do salazarismo não ganhava a lista que tinha mais votos; ganhava sempre a lista da “União Nacional”, da qual Marcelo seria “sócio” se tivesse nascido mais cedo.

  3. Victor Simoes diz:

    Não percam tempo com o referido, pois desde que se lançou às águas do Tejo, nunca mais foi o mesmo

  4. S. Bagonha diz:

    Mas para o professor Marcelo Banhadur todos os dias são “dia das mentiras”, ou “dias das verdades que lhe convêem”, quando lhe convém, o que vem a dar no mesmo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.