Pérolas do discurso político do primeiro-minstro

O discurso foi proferido num jantar com os deputados do PSD, com as televisões presentes,  isto é, o primeiro-ministro quis ser ouvido não apenas pelos deputados mas pelo país, através dos media, nomeadamente das televisões.   Os sound bites que preparou foram isso mesmo: preparados para serem repetidos

Vejamos algumas das “pérolas” proferidas:

Sobre como se ganham eleições:

– Primeiro-ministro: “(…) nenhum dos que aqui está foi eleito para ganhar as próximas eleições nem para ajudar a ganhar ou para ajudar a ganhar autárquicas, nem as regionais deste ano nos Açores, nem as europeias que aí vêm a seguir, não foi para isso que fomos eleitos. Quero reafirmar que se algum dia tiver que perder eleições para salvar o país, como se diz, que se lixem as eleições, o que conta é Portugal.

A memória do primeiro-ministro é curta. Ganhou as eleições e em vez de “salvar o país”, “lixou” os portugueses, que vivem muito pior do que antes da sua chegada. A ideia que expressou sobre o papel dos deputados deve ser lida ao contrário. Porque os que o ouviram naquele jantar – sobretudo aquele que se encontrava a seu lado – Miguel Relvas – “ajudaram-no” a chegar onde chegou. 

Sobre as críticas da Oposição à situação do país:

– Primeiro-ministro: “(…)  julgam que descrevendo esta realidade conquistam simpatia, votos, uma orientação para o futuro …..descrever uma realidade nunca dá uma orientação para futuro nenhum (…)”

O primeiro-ministro está enganado. Já dizia Marc Bloch: “conhecer o passado para compreender o presente e preparar o futuro.”  Descrever (conhecer) uma realidade é um passo importante para a compreender e, consequentemente, para prevenir  efeitos indesejados….

– Sobre ter ou não ter “barriga”:

Primeiro-ministro: “(…) já tenho ouvido alguns comentários…«o senhor primeiro-ministro está mais magro…anda assim abatido»…não não eu quero dizer, estou mais porque tenho feito dieta … porque não quero ficar barrigudo, é só isso, eu estou muito bem de saúde e, melhor do que isso, estou muito certo do caminho que quero seguir…”

A questão é que os portugueses também estão a ficar mais magros por causa da  “dieta” a que as políticas do governo os obrigam, não é para não  ficarem “barrigudos”.

Conclusão: É certo que os governantes não necessitam de graus académicos e que a competência política não se mede pelo nível de escolaridade dos seus protagonistas. Mas que diabo, não era mau que ao menos não descessem tanto o nível do debate político.

 

Esta entrada foi publicada em Assembleia da República, Comunicação e Política, Governo, Política, Sociedade. ligação permanente.

4 respostas a Pérolas do discurso político do primeiro-minstro

  1. Manuel silva gomes diz:

    O Primeiro Ministro perdeu o discurso que praticava quando estava na oposição: embrulhou-o, meteu-o no bolso: agora o discurso é outro. sem dó nem piedade mata os portugueses de condição social mais baixa,
    cortando lhe no vencimento e nos medicamentos, enquanto os que ganham fabulosos vencimentos mal lhe toca. comparativamente com o que faz aos que ganham . milhões. sr. primeiro ministro? Diga aos Portugueses e ao Mundo, se é que tem algum sentido humano, cortar sem dó nem piedade a quem ganha 600 euros igual percentagem como os que ganham uns largos milhares? Onde é que está a sua consciência senhor primeiro ministro.Não sabe, e não sabe porque não a tem , e não chega ao fim do mês cheio de fome sem ter com que pagar a renda da casa nem que dar de comer a quem chora com fome há sua volta…Tenha vergonha sr. primeiro ministro de ocasião…

  2. Pingback: Isto não vai lá com “novilíngua” | VAI E VEM

  3. Victor Simoes diz:

    A pobreza do discurso deve-se ao facto de ter sido escrito pelo brilhante “Dr Relvas”.

  4. Vicente Silva diz:

    Não consigo digerir a ideia de que aquele chorrilho de frases curtas e avulsas possa ser considerado um discurso político de um primeiro ministro.Em minha opinião o que se passou não foi mais do que um espectáculo mediático montado,aliàs com um argumento de qualidade medíocre,para que se soubesse que ainda existe um chefe de governo, embora mais magro por se encontrar em período de dieta ou ramadão.

    .

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.