A “educação” de Vítor Gaspar

Vítor Gaspar diz que a sua única motivação enquanto ministro é retribuir ao país a educação “extraordinariamente cara” que teve.

Esta afirmação do ministro das Finanças denota uma extrema arrogância e “complexo de superioridade” sob a capa de humildade.

Desconstruindo a frase do ministro, o que ele quis dizer é que se considera um ser superior e que por isso as suas decisões são inquestionáveis. Ninguém está à altura de discutir com ele, no governo ou fora dele, há que obedecer porque a sua “educação” não tem rival.

O problema deste descaramento é que Passos Coelho e alguns dos seus ministros “políticos”, cuja “educação” deve ter sido muito mais barata que a “extraordinariamente cara” “educação” de  Gaspar, não se atrevem a questionar as suas “ordens” com medo de que a troika castigue Portugal por não aceitar as decisões do seu funcionário.

Esquece o ministro Gaspar que milhares de jovens, e menos jovens, em cuja “educação” o país investiu, estão hoje no desemprego e na miséria para onde as  as suas sábias medidas os empurraram. Depois de às ordens da troika nos ter posto a todos na penúria, o ministro Gaspar receberá  um lugar num país qualquer onde a sua infinita sabedoria  poderá experimentar novos, ou os mesmos, modelos, levando mais alguns à derrocada. Por onde passar, a sua “extraordinariamente cara educação” deixará desespero e raiva

A “educação” de Gaspar continua a sair muito cara ao País. Mais valia fazerem-lhe uma lavagem ao cérebro.

Advertisements
Esta entrada foi publicada em Governo, Sociedade, Vítor Gaspar com as etiquetas . ligação permanente.

9 respostas a A “educação” de Vítor Gaspar

  1. Pingback: Vítor Gaspar é impressionante. “Basta pum basta” « Viver Ramalde – Viver o Porto

  2. Pingback: Vítor Gaspar é Impressionante: Basta pum, basta! | VAI E VEM

  3. Pingback: A campanha de intoxicação dura há 24 horas | VAI E VEM

  4. 21.º CRP diz:

    Ó Baeta, o baeta propriamente dito arrancou-te a mioleira da última vez que lá foste ou não consegues entender uma subtileza?
    O mongo do Gaspar dizer que quem paga propinas deve ser é parvo e chulo e duplamente devedor, já agora. Lá esperto é ele, que já está a cozinhar mais uma taxa para o próximo ano/OE. Vamos ter a “taxa de utilização do banco/laboratório de faculdade ou instituto”, escrevam o que vos digo; e, pelo andar da carruagem, chegaremos a uma “taxa de viragem de página”. Os aspirantes a juristas que se cuidem e decorem os artigos, senão já eram.
    Por essa lógica, conclui-se que quem é bolseiro é chulo, porque anda a mamar do contribuinte para ir passear uns livros.
    Querem proxenetas com educação cara? Analisem o caso de quem estuda numa Escola Superior Militar; para além da isenção de propinas, ainda recebem um soldo crescente ao longo dos anos de curso e têm emprego garantido. Por muito incompetentes que sejam (e eu conheço demasiados casos destes, infelizmente), terão SEMPRE lugar garantido nas fileiras, porque quem interessa mandar fora é o contratado, o pau para toda a obra da Administração Pública em geral e das Forças Armadas em particular.
    Estou-me nas tintas se não podem faltar a aulas ou se têm de usar uniforme e submeter-se ao RDM. É bom que assim seja, porque somos todos nós, o esmifrado Zé Contribuinte, a pagar-lhes a formação.
    Tudo isto sem esquecer que vários – como os PILAV da Força Aérea ou os Engenheiros Maquinistas ou Construtores Navais da Marinha – se piram para empregos bem pagos no dito mundo civil.

    Andam para aí a dizer que o Gaspar não gosta da tropa, mas vistas bem as coisas até que é aparentado com eles.

    Queres pagar a tua dívida, Vítor? Demite-te e leva o Excel contigo.

  5. EGR diz:

    O senhor ministro é,além do mais, dotado de um enorme cinismo.

  6. José diz:

    Este cientista louco está a mais neste País, lamento dizê-lo. Ele é tão inteligente que o País não o merece. Infelizmente para ele, o assalto fiscal, que finalmente conseguiu formalizar, é fruto do maior fiasco público de um economista jamais visto na história de Portugal, desde a monarquia. E este facto certamente lhe fechará as portas de um futuro emprego, pelo menos como economista, logo que seja despedido do governo de Portugal. Isto partindo do princípio que o cientista está de boa fé, e não motivado por qualquer outro objectivo que não servir a Pátria.
    De facto, só com uma fé inabalável na folha de excel, e na total virtualização do mundo, é possível acreditar que o resultado do seu “excelente trabalho para 2013” não será mais um fracasso, desta vez de proporções bíblicas, como há minutos referiam pessoas tão diferentes como João Ferreira do Amaral e Medina Carreira na TVI24.
    Eu tendo a pensar na agenda escondida.
    Aliás basta ver que o cavalheiro já não tem a morosidade verbal dos primeiros tempos, quando tentava explicar aos estúpidos dos Portugueses as suas teorias.
    Este cavalheiro é sinistro! Cuidado Democracia!

  7. A mensagem de Vítor Gaspar é de facto bem clara. Foi isso que deixei expresso no post. Nem era necessário ter gasto muito dinheiro com tal “educação”…

  8. José M. Baeta diz:

    Receio bem, atendendo à dificuldade extrema que o autor/autora deste texto tem em apreender a mensagem bem clara de Vítor Gaspar, que a sua educação, apesar de caríssima, não terá sido de grande proveito…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s