Os cuidados com a língua nas notícias sobre as escutas a Passos Coelho

A notícia do Expresso sobre escutas realizadas no âmbito do “caso Monte Branco”  em que interveio o primeiro-ministro tiveram larga cobertura jornalística, como era de esperar num país em que as escutas oriundas de fugas de informação se tornaram matéria noticiosa de primeira categoria. 

Estamos, contudo, longe dos tempos em que escutas realizadas no âmbito de outros processos “interceptaram” também um primeiro-ministro: José Sócrates.

Veja-se como os jornais se referiram desta vez ao facto de o primeiro-ministro ter sido “interceptado”:

O Expresso escreve na capa “escuta com Passos”. A frase é apropriada e muito prudente. Percebe-se que foi cuidadosamente pensada.

O Correio da Manhã, não quis deixar Passos sozinho e descobriu que Sócrates “por alturas de um Natal”, de um ano que não identifica, “já tinha sido “interceptado” num diálogo com o mesmo quadro do BESI, também no âmbito do processo Monte Branco, e acrescenta que “sabe que ambas as conversas não consubstanciam crimes.” Deve ser a primeira vez que Sócrates é referido no Correio da Manhã sem ser suspeito de qualquer coisa.  A “contaminação” de Passos foi-lhe  favorável: foram ambos “apanhados” ou “interceptados”. Nada mal (para Sócrates)…

O Diário de Notícias também teve o cuidado de referir na legenda da fotografia de  capa que  “a escuta não compromete Passos“. Aliás, a frase a letras gordas sobre a foto – “tentativas de pressão sobre Passos Coelho” faz deste “vítima” de alguém que quis “pressioná-lo”.  Bem diferente seria transpôr para esse espaço o conteúdo da legenda, isto é, que a conversa “do banqueiro com o primeiro-ministro”  surge no âmbito  da “investigação sobre suspeitas de tráfico de influência nas privatizações.”

O Público resolveu o problema da semântica transcrevendo na capa, ao lado da fotografia de Passos Coelho as suas palavras  sobre “o prazer” que tem “em que essas escutas sejam tornadas públicas”. Porém, na primeira notícia em que cita a notícia do Expresso usou a expressão “Passos Coelho participa em conversas escutadas no caso Monte Branco”. A palavra é prudente, embora ambígua.

É positiva a “contenção linguística” observada pelos jornais no relato do assunto. Mais vale tarde que nunca.

A notícia do Expresso  incomodou o primeiro-ministro, como se viu pela sua reacção, ao criticar a violação do segredo de justiça e pretender apurar responsabilidades. O que se lhe critica é ter-se calado quando os “apanhados” eram outros.

À parte as questões semânticas e jornalísticas, a verdade é que o poder judicial continua a revelar a sua capacidade de marcar a agenda política e jornalística. Venham de onde vierem, representem ou não “avisos” ao poder político, correspondam ou não a cumplicidades e interesses mútuos entre agentes da justiça e jornalistas, as fugas de informação minam a justiça e o jornalismo, isto é, minam a democracia.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Comunicação e Política, Governo, Jornalismo, Justiça, Sociedade, Sociologia dos Média. ligação permanente.

2 respostas a Os cuidados com a língua nas notícias sobre as escutas a Passos Coelho

  1. EGR diz:

    Mas que jornalismo ? Onde se encontra disso no que hoje se ouve e lê ? Onde estão os exemplos? O Crespo? O Raposo ? Marcelino ? Rodrigues dos Santos que acaba de se vangloriar de ter escrito um livro destinado a evitar que as pessoas sejam futuramente “enganados pelos polticos” ? E de que poder judicial falamos ? Dos que sendo seus agentes utilizam a função para aliciarem os ditos escreventes, e outros que por aí andam, a colaborarem na pratica de crimes ?
    Enfim lá que o caminho está a ser percorrido não tenho dúvida; o que me parece é que no termo está a queda num arremedo de sociedade onde a simples decencia não terá lugar.

  2. José Silva Pinto diz:

    E depois admirem-se que, actualmente, só os piores vão para a política…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s