Diz que é uma espécie de refundação

Passos Coelho defendeu hoje a refundação” do memorando da troika,  sem explicar exactamente o que quer dizer com isso, numa tentativa de resposta àqueles, e são muitos, que têm defendido uma renegociação do dito memorando….

Passos não mediu talvez o significado da palavra. Bem sei que disse “uma espécie  de refundação”, prevenindo-se para o caso de alguém lhe dizer que “refundar” é  criar de novo, e que a ideia de  fundação está ligada a “criação”,  “começo”, “princípio”. Se Passos pretende “refundar” o memorando que Portugal assinou com a troika está a dizer que quer “re-criar” o memorando, isto é, criar um memorando novo.

Se for assim, seria bom reconhecer que se enganou e dar razão aos que defendem que o memorando não é exequível. Mas o primeiro-ministro e o ministro das Finanças perderam a noção da realidade e negam hoje o que afirmaram ontem. Foi assim com o regresso aos mercados, “marcado” por Gaspar para 23 de Setembro de 2013, agora considerado “um processo” e não “um momento”. Foi assim com a “retoma”  anunciada por Passos para 2013…Foi assim com o prolongamento do prazo de ajustamento para mais um ano, sempre negado mas afinal  pedido pelo governo e negociado às escondidas do Parlamento e dos cidadãos. Foi assim com o recente “regresso ao mercado de obrigações “, com o ministro Gaspar a recusar dizer aos deputados quem foram os compradores.

Os discursos de Gaspar e Passos nas  jornadas parlamentares dos partidos da coligação, ao que se viu na televisão, mais pareciam  discursos para pessoas com dificuldades mentais. Desde a metáfora do “maratonista”, de Vítor Gaspar, ao “carro em segunda mão”, de Passos Coelho, passando pelas “rações de combate” de Aguiar Branco, dir-se-ia que os oradores têm em pouca consideração o nível intelectual dos deputados dos dois partidos, que, aliás, surgiam em alguns planos de corte com ar entediado. Não era para menos!

Receio pois que o que Passos quer “refundar” não seja o memorando mas sim o País, “recriando-o” segundo a sua cartilha pseudo-liberal, um país onde a Europa rica venha buscar os escravos da era moderna.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Assembleia da República, Comunicação e Política, Governo, Sociedade com as etiquetas . ligação permanente.

5 respostas a Diz que é uma espécie de refundação

  1. Pingback: Afinal a “refundação” era uma questão de mau inglês técnico do PM | VAI E VEM

  2. Vicente Silva diz:

    Passos Coelho bem podia “refundir”em vez de “refundar”o memorando da troika já que o país e os portugueses estão sitemàticamente a serem “refundidos”.
    Por outro lado as metáforas utilizadas pelos oradores são de uma pobreza e falta de imaginação tais, que só encontram paralelo na acção governativa de cada um deles.
    Desde a venda de carros em segunda mão a rações de combate com o prazo ve validade provàvelmente ultrapassado,passando por maratonas,nada faltou naquele concílio.
    Até o impoluto Miguel Relvas deu uma lição de ética política deixando muitos dos presentes de boca aberta pela convicção com que proferia as suas palavras;de coração aberto e consciência tranquíla.
    E assim vai evoluindo a nossa democracia para um sistema ao qual só os dementes conseguirão adaptar-se e sovreviver: a DEMENTOCRACIA.

  3. Aplausos! Excelente texto.

  4. Paulo Silveira diz:

    Pois é começa a não ser mais possível, a este grupo de talibans monetaristas e com ligações cada vez mais opacas, esconder a sua agenda oculta para o país.
    São as histórias do Relvas
    http://www.esquerda.net/artigo/o-homem-que-abre-portas-nos-negócios/23255
    http://www.publico.pt/Mundo/estilhacos-do-mensalao-chegaram-a-portugal-1557370
    http://showdebola.pt/o-estranho-caso-da-tecnoforma-e-as-ligacoes-entre-relvas-e-passos-coelho/
    São as do António Borges
    http://www.tsf.pt/PaginaInicial/Economia/Interior.aspx?content_id=2556572
    São as do Carlos Moedas
    http://crimedigoeu.wordpress.com/2012/05/24/liberais-que-vivem-a-bajula-do-estado-os-casos-carlos-moedas-e-pedro-rebelo-de-sousa/
    São as do Vítor Gaspar
    http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=573360&tm=6&layout=121&visual=49
    São as do Paulo Portas
    http://www.esquerda.net/opiniao/queda-dos-impérios/24456?quicktabs_regi_o_direita_not_cias=1
    http://www.tsf.pt/PaginaInicial/Interior.aspx?content_id=761323
    http://www.jornaldenegocios.pt/home.php?template=SHOWNEWS_V2&id=576059
    E também as do Passos
    http://ponteeuropa.blogspot.pt/2011/11/curriculo-de-passos-coelho.html.
    O objectivo desta gente é destruir o estado social, a legislação laboral e vender/dar ( disfarçado de privatização) tudo o que é público e lucrativo transformando Portugal na reserva barata de trabalho escravo da Europa.
    É por isso que a recessão não para porque caso contrário nao teriam hipóteses de implementar estes planos criminosos de ruína do país.

  5. EGR diz:

    O senhor Primeiro Ministro não é o que se pode chamar de um bom conhecedor da lingua portuguesa pelo que quando se exprime todas as dúvidas, quanto ao seu pensamento,são legítimas.
    Donde ser necessrio proceder a um trabalho de interpretação tendo em conta os elementos literal,historico,sistematico,e naturalmente, qual o fim prosseguido.
    Nada que um jurista desconheça quando está perante um texto legal.
    Parece-me que, no caso de hoje, a interpretação feita na parte final do seu texto é a mais adequada.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s