O ministro que encantou os comentadores

Público, 21 Abril, 2013

Público, 21 Abril, 2013

O novo ministro Poiares Maduro parece provocar  em alguns comentadores e jornalistas deslumbramento idêntico ao provocado pelos homens da troika quando chegaram a Portugal. Por enquanto, ainda não teve repórteres à saída de casa perguntando-lhe o que tomou ao pequeno-almoço, ou coisas assim, como fizeram na altura e referi aqui.

A sua primeira aparição pública depois da nomeação, na  conferência de imprensa que se seguiu à reunião de 11 horas do conselho de ministros, ficou marcada pela insistência na palavra “consenso” que os repórteres citaram como tendo sido repetida doze vezes.

O ministro é apontado como o responsável por uma nova estratégia de comunicação do governo  e há até quem tenha visto na sua intervenção nessa conferência de imprensa uma  coordenação política que até aqui não existiria.

Poiares Maduro desperta simpatia  não apenas pelo seu prestígio académico mas também pelo seu ar jovem e moderno, meio négligé, olhos transparentes, cabelo despenteado, barba rala e sobretudo pelo contraste com a reputação e a imagem dos restantes membros do governo, um primeiro-ministro sempre agastado, cínico e sombrio e um Portas fugidio, escondendo-se entre sorrisos e silêncios meio malandrecos a fazer lembrar os tempos de director de “O Independente”.

Acontece, porém, que por enquanto, para além do episódio teatral das cartas e dos encontros com o PS em que se traduziu o “consenso”, nada de novo se vislumbra após a entrada no governo de Poiares Maduro e do seu adjunto Pedro Lomba. É certo que é ainda cedo para quem vem da academia directamente para o governo, poder mudar ou influenciar o que quer que seja.

A minha dúvida é porém outra: não acredito que Poiares Maduro tenha sido escolhido por Passos Coelho para alterar a política e a comunicação do governo, como por aí se diz. Passos já mostrou que a única pessoa que segue e que manda é Gaspar. Ambos governam não para os portugueses mas para a troika. Não era agora que iria mudar isso. Só precisa de mostrar que algo mudou ficando tudo na mesma.

Poiares Maduro representa essa espécie de mudança, uma aparente lufada de ar fresco, conferindo credibilidade a uma área do governo que com Relvas tinha caído em total descrédito. Não creio que consiga ir além disso. Veremos se é ele que se impõe a Passos e a Gaspar ou se são estes que o enquadram e o seduzem dando-lhe uns milhões para distribuir.

Seria aliás estranho que um académico brilhante, sem experiência política, embora inscrito no partido do governo, meio estrangeirado, pudesse chegar, entrar num governo e, de repente, inverter a política e a lógica de funcionamento desse governo. Seria estranho e talvez nem sequer fosse bom. Mesmo tratando-se de um governo tão mau como este. Mas em democracia quem define as políticas e o modo de governar são os políticos que ganham eleições, não são os académicos, por mais geniais que sejam. Para o bem e para o mal. Neste caso, para o mal.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Comunicação e Política, Governo, Sociedade. ligação permanente.

4 respostas a O ministro que encantou os comentadores

  1. palavrossavrvs diz:

    E patriotismo, não? Maldosos, pá.

  2. Maria diz:

    O tacho!

  3. Concordo, talvez seduzido por uma experiência de viver o poder político por dentro. Conheço casos de sedução de académicos pelos rituais do poder…

  4. Fernando de Sousa diz:

    Continuo a interrogar-me: o que faz um académico brilhante como o Poiares Maduro ir para a política.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s