Quem tramou os briefings de Maduro e Lomba?

O facto de a demissão de Vítor Gaspar ter  sido anunciada após o primeiro briefing com jornalistas, organizado pelo gabinete do ministro Poiares Maduro, em que  a ainda secretária de Estado, Maria Luís Albuquerque, embora não o dizendo expressamente, deixou perceber que Vítor Gaspar não comunicou os contactos e as informações recebidas de Teixeira dos Santos e dos seus então secretários de Estado sobre os contratos swap, presta-se a algumas leituras.

Desde logo, ocorre perguntar se o ministro Poiares Maduro sabia ou não que Vítor Gaspar se demitiria nessa tarde e, caso soubesse, se informou o secretário de Estado Pedro Lomba.  Os jornais (DN) dizem que naquele briefing Maria Luís “era a única a saber que  já era ministra.”

Ora, se ambos sabiam não deviam ter mantido o briefing, uma vez que podiam antever que logo que a demissão de Gaspar fosse conhecida ela  seria absolutamente avassaladora em termos noticiosos, anulando qualquer outra informação em on ou em off dada por Lomba aos jornalistas. Além de que a omissão desse importante facto na chamada parte off do briefing faria os jornalistas pensarem que foram enganados e que afinal o off é apenas conversa fiada.

Mas, se Maduro e Lomba não sabiam que Gaspar se demitiria nessa tarde, o caso é mais grave e os dois governantes deveriam ter extraído dele a devida conclusão que só podia ser a demissão, por desautorização e deslealdade.

De facto, se Passos Coelho – que segundo os jornais já andava a preparar a substituição de Gaspar  – não informou o seu ministro adjunto Poiares Maduro de que a  demissão seria anunciada nessa tarde, cometeu uma deslealdade para com ele, uma vez que lançou no ridículo uma iniciativa sua – os briefings – no próprio dia em que a “comunicação” mais importante dos últimos meses e talvez dos últimos dois anos,  foi escondida dos jornalistas. Dir-se-à  que não podia ser divulgada, mas então não haveria briefing.

Os briefings morreram à nascença, mesmo que se mantenham. Poiares Maduro e Pedro Lomba foram enganados pelo primeiro-ministro. E Maria Luís Albuquerque colaborou na farsa, aceitando ir ao briefing participar na pantomina.

Se ninguém tirar consequências, é legítimo dizer que estão bem uns para os outros.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Comunicação e Política, Governo, Jornalismo, Política, Sociologia dos Média. ligação permanente.

2 respostas a Quem tramou os briefings de Maduro e Lomba?

  1. Pingback: Estranha forma de ver a democracia | VAI E VEM

  2. J. Santos Silva diz:

    Ai, estes chavões, tão comuns em quem não domina a língua portuguesa… Em bom português, PONTO DE SITUAÇÃO!
    E Ponto de Situação diário de quê e porquê? Os atos falam por quem os pratica. Lavagem ao cérebro? NÃO, OBRIGADO!!!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s