Na cama com…

A avaliar pelos editoriais do Jornal de Angola, as relações entre cá e lá estão cada vez mais quentes. No sentido literal do termo. Leia-se este excerto:

.“(…) todos os democratas têm o dever de criticar magistrados judiciais e do Ministério Público que despudoradamente vão para a cama com jornalistas avençados e que actuam na lógica das associações de malfeitores.

Estive à procura de alguma reacção vinda de algumas das partes citadas no editorial, mas não encontrei, pelo que concluo que  os sindicatos de ambas as “classes” ainda não se pronunciaram. Vendo bem, não têm que saber quem vai para a cama com quem.  Cada um vai para a cama com quem quer.

O problema é que segundo o dito editorial  magistrados e jornalistas  vão para a cama “despudoradamente” uns com os outros, isto é sem pudor.

Será por pudor que ninguém reage? Mas talvez devesse haver lugar a reacção. Pelo menos quanto aos jornalistas. É que é mais grave a acusação de haver “jornalistas avençados” do que haver  jornalistas  que “vão para a cama” com magistrados….

E o que quer dizer o editorial com a frase “actuam como associações de malfeitores”? Há relação entre ir para a cama com…e actuar como associação de malfeitores?

Parece claro que o editorial quer dizer simplesmente isto: há  magistrados judiciais e do Ministério Público  que cultivam relações de intimidade com  jornalistas aos quais passam informações sobre processos em segredo de justiça que atingem determinadas  figuras políticas. O ir “para a cama” corresponde neste editorial a um meio para  conseguir uma relação de troca: um/uma dá uma informação e o/a outro/a publica-a.

Não responder significa que ou o editorial é de tal modo idiota que nem merece comentário e o desprezo é a melhor resposta, ou então alguém pensará que quem cala consente….

O problema é que o Jornal de Angola não é um jornal qualquer no universo mediático angolano. É simplesmente a voz do governo de Angola.

Um editorial destes é simplesmente inaceitável.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Comunicação e Política, Imprensa, Jornalismo, Sociologia dos Média. ligação permanente.

2 respostas a Na cama com…

  1. Pingback: O assomo ético do PGR de Angola | VAI E VEM

  2. jorge xavier diz:

    cara sra, lida a noticia, nao me parece que a mesma ande longe do que efectivamente se passa. no entanto, o ultimo paragrafo é, de facto, inaceitavel. Cumprimentos.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s