Uma fotografia com sentido

Público 1 Novembro 2013, foto de Rui Gaudêncio

Público 1 Novembro 2013, foto de Rui Gaudêncio

Esta é a fotografia de capa que o Público escolheu para noticiar o início do debate parlamentar do Orçamento de Estado (OE).

 

Passos e Portas estão de costas meio-voltadas, como que desencontrados, surombáticos, como se nada tivessem a ver um com o outro.  A legenda explicita que a imagem foi captada durante o  debate  do Orçamento de Estado.

O leitor mais distraído poderá interrogar-se: será que Portas não concorda com o OE? Porque estarão Passos e Portas de costas voltadas no debate de um orçamento em que ambos se empenharam, sobretudo Portas até de maneira quase suicida?

Lemos  na frase inscrita no canto esquerdo da fotografia que o  “PS diz não” à Reforma do Estado. E perguntamos  porque não estará então ali a fotografia do líder do PS em vez da fotografia dos Passos e Portas.

Porém,  a um olhar mais atento encontramos a “chave” para a leitura daquela fotografia. Essa frase remete não para o OE mas para a Reforma do Estado – o chamado Guião de Paulo Portas. E vem à memória que Portas esteve sozinho na apresentação do guião da Reforma do Estado. 

O fotógrafo captou o gesto – Passos de costas voltadas – mas é a inscrição que dá sentido a esse gesto O “não” do PS à Reforma do Estado é ali abafado pela força da imagem de “desencontro” entre Passos e Portas sobre a Reforma do Estado. 

Nas duas páginas seguintes o jornal publica duas fotografias (em páginas contíguas) que traduzem o enfrentamento entre Seguro e Passos no  debate do OE. As legendas assinalam o desencontro. Imagens e  legendas condizem entre si. Não necessitam de descodificação. São redundantes, confirmativas, constituindo-se como marcas de autenticidade e “efeitos de real”. 

Passos e Seguro OE

Na imagem da capa  é a relação entre a fotografia e o texto nela inscrito que confere sentido e coerência à mensagem que o jornal pretende passar sem que um dos elementos ganhe preponderância sobre os outros.

Há na realidade uma vida e um sentido das imagens que nem sempre é linear.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Assembleia da República, Comunicação e Política, Governo, imagens, Sociologia dos Média. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s