Rui Rio e os jornalistas

Rui Rio diz que comunicação social cumpre função «por acaso»Rui Rio possui uma característica rara nos políticos, pelo menos em Portugal. Não procura agradar aos jornalistas, pelo contrário critica-os aberta e directamente sempre que tem oportunidade de os apanhar pela frente. Parece até apreciar uma boa “guerra” com jornais e jornalistas.

Ao que leio nos jornais, a ocasião para Rui Rio desferir mais uma provocação aos jornalistas surgiu ontem na sessão de encerramento das comemorações dos 40 anos do Expresso, dedicada ao tema “O jornalismo (que temos) é útil à democracia?”.

Pode dizer-se que o tema vinha mesmo a calhar. Rui Rio andou estes dias nas bocas do mundo, apontado como preparando-se para disputar lá mais para a frente no calendário político  a candidatura à liderança do PSD.  Ao lado de jornalistas como Miguel Sousa Tavares e Henrique Monteiro, Rio acusou a comunicação social de cumprir a sua função “por acaso”, defendendo que, por não o fazer como devia, tem sido uma das “responsáveis da degradação do regime democrático”. e contestou as notícias que nesse mesmo dia foram publicadas sobre  a sua pessoa.

São conhecidas as suas acusações ao Jornal de Notícias e ao Público traduzidas num recorde de queixas à ERC contra aqueles jornais, para além das disputas com jornalistas através do sítio electrónico da Câmara Municipal, enfim, uma relação de grande conflitualidade com estes dois diários.

Ora, esta atitude de  criticismo permanente para com o jornalismo e os jornalistas não é natural em quem deseja ascender a altos cargos políticos, como sejam liderança do seu  partido, a chefia do governo ou mesmo a Presidência da República.

E não é natural porque para vencer na política é necessário ganhar a atenção e a simpatia dos media. Ora, Rui Rio não faz nada para isso, dir-se-ia até que faz precisamente o contrário.

Por isso, apesar de  muitos o quererem  lançar como sucessor de Passos e de isso o poder lisonjear e até espicaçar, não parece fácil levá-lo a aceitar. Mas se aceitar será  interessante ver se Rio se adapta às regras do jogo mediático ou se não se adapta e “morre” às mãos dos seus inimigos de estimação.

Não faltam exemplos de políticos mal amados pelos jornalistas que caíram às suas mãos….(embora aparentemente as razões da queda tenham sido outras).

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Comunicação e Política, Jornalismo, Política, Sociologia dos Média com as etiquetas . ligação permanente.

5 respostas a Rui Rio e os jornalistas

  1. Pingback: Rui Rio e os jornalistas, uma relação difícil | VAI E VEM

  2. Antónimo diz:

    Cara Estrela Serrano, disse que “[n]ão faltam exemplos de políticos mal amados pelos jornalistas que caíram às suas mãos…”. Mas eventualmente, pode não ter querido meter Rio nesse grupo. No entanto, diria que junto dos jornalistas que mandam – uma classe que gosta de autoritarismo e do estilo duro – Rio é dos mais amados políticos portugueses. Andará no altar.

    Ele à direita e outro Rui, o Tavares, à esquerda, mas neste caso, para dar a ideia de que a esquerda tem muitas coisas que a dividem (mas sem nunca dizer quais são realmente) e pelo caminho tramar as esquerdas e diminuir as chances destas derrotarem Rios e outros amantes da suspensão da democracia por seis meses.

    Qual foi a última vez que viu uma redacção onde a liberdade de expressão funcionasse sem que o exaltado não fosse brevemente convidado a sair, por rescisão ou despedimento?

  3. cristof9 diz:

    não sei se no caso dos outros simpatisantes de RR se passa o mesmo mas a minha razão éporque lhe noto precisamente e ausensia de gosto por fretes. Intransigencia quando são as suas ideias e desafio para que o julguem pelos resultados, pois assume por inteiro as suas medidas. Parece-me aqui do sul, que foi isso que lhe deu as tres vitorias a CM porto contra o establishement, o futoboles, os compadrios, os porcos assados. Onde me parece que faz muito bem em negar a provocação de candidato a lider doPSD , é porque se for candidato a Belem penso eu de que vai ganhar mesmo contra o Costa boa imprensa. Claro que no Psd-Marcelo-menezes e todos os ade+tos do porco assado e quejandos não gostarão dum julgador destes em Belem. presumo que o facilitismo morre logo a porta de S.Bento

  4. Caro Antónimo, eu não disse que os jornalistas não “amavam” Rui Rio mas sim que Rui Rio não poupa críticas aos jornalistas o que é substancialmente diferente. Prova disso são as suas persistentes declarações e as inúmeras queixas que fez na ERC que aliás pode consultar no site desta, para além das polémicas no site da câmara que deram também várias queixas de jornalistas contra ele.

  5. Antónimo diz:

    Só que o seu engano é esse. Escreveu um texto todo assente numa percepção errada. Rui Rio é amado pelos jornalistas, pelos jornalistas que amam “o rigor”, “a sensatez”, “o sentido de Estado”, “o pulso”, “o pragmatismo” das Manuelas Ferreiras Leites, dos Rangéis e dos Pachecos Pereiras. Até o metem num andor com a mesma exigência e entusiasmo com em redor do ex- enstusiasmado socrático (e antes ex-entusiasta de qualquer outra coisa rosinha) André Macedo exigiram a Passos Coelho que nos esfolasse.

    Isso dos JN e Públicos foi conjuntural, veja lá o que fizeram ao Rui Moreira, santo entre os santos, arvorado em indepedente, embora de cordão umbilical ligado sociologicamente à burguesia comercial tripeira.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s