Começou a reescrita da história recente do País

O congresso do CDS ajudou a perceber que a coligação tem uma estratégia para  reescrever a história dos últimos 3 anos em Portugal. A narrativa é simples e foi enunciada por Portas no final do seu discurso de encerramento do Congresso: as próximas eleições  serão “a escolha entre votar em quem “trabalhou para acabar com o resgate e quem lançou Portugal no resgate”.

Aliás, nas declarações dos dirigentes dos dois partidos a cassete repete-se e mantém-se: o PSD e o CDS não têm nada a ver com o pedido de resgate, não foram eles que negociaram com a troika. Eles são, sim, os “libertadores” que irão restituir ao País a sua soberania.

Acontece, porém, que as notícias estão aí para nos recordarem quem se recusou a “governar com o FMI” e quem, ao contrário, fez tudo para que a troika fosse chamada.

No discurso actual dos  dirigentes do PSD e do CDS a participação dos dois partidos nas negociações do chamado “programa de resgate” nunca existiu. Os membros do CDS que negociaram com a troika –  Assunção Cristas, Miguel Morais Leitão, Pedro Mota Soares, Paulo Núncio e Luís Queiró –  e os do PSD – Eduardo Catrogra, Abel Mateus e Carlos Moedas –  eram apenas fantasmas ou sósias dos verdadeiros. As reuniões da troika no Largo do Caldas e na Buenos Aires foram criadas por cenógrafos e nunca tiveram lugar.

Segue-se agora o congresso do PSD. Como Passos Coelho disse aos jornalistas, a propósito da referência de Portas a uma candidatura conjunta às eleições europeias,  a referência de Portas à estratégia para as próximas eleições foi combinada entre os dois líderes. Teremos, pois, Passos a repetir Portas no próximo congresso do seu partido: nada tem a ver com o pedido de resgate mas foi ele que “salvou” o País.

É o que se chama uma mistificação  da História ou a história de uma mistificação.

 

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Comunicação e Política, Governo, Política com as etiquetas , , . ligação permanente.

3 respostas a Começou a reescrita da história recente do País

  1. Vicente Silva diz:

    Que a política não seja uma fonte de virtudes e matéria para constar num catecismo de uma qualquer religião,todos estaremos de acordo;mas chegar ao nível do esgoto para onde Passos & Portas estão a conduzi-la,é inaceitável.
    Ainda ouviremos dentro em breve, a qualquer deles ou a ambos, que não têm mãe e nasceram de geração espontânea.

  2. J. Madeira diz:

    Falta incluir na mistificação da História o papel de relevo do
    Pilatos de Belém que, tudo tem permitido a este des-governo
    useiro e vezeiro no pisar a Constituição … onde estão as tão
    faladas reformas? Tudo não passa de um “ajustamento” con-
    juntural, à custa dos funcionários públicos e dos reformados!!!

  3. Victor diz:

    Falta de vergonha não falta a estes pelintras. E, ainda há quem os considere.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s