O governo devia ter estado lá…

Prós e ContrasOntem, enquanto decorria o Prós e Contras, dedicado ao tema “Quem protege os mais frágeis?“, no twitter, como de costume, um grupo comentava o  programa. No lado do prós, estavam  uma directora-geral do do Ministério da Educação e uma alta  responsável da Segurança Social; no lado do” contras”, o pedo-psiquiatra Lobo Antunes e uma Mãe de um filho portador de deficiência. Na assistência viam-se e ouviam-se professores,  e familiares de pessoas portadoras de deficiência, para além de algumas dessas pessoas.

Desde início ficou claro o desfazamento, a insensibilidade e a quase arrogância com que a responsável da Segurança Social abordava o tema e respondia às questões colocadas pela jornalista e pela assistência. Da assistência vinham relatos pungentes e revoltantes de experiências vividas por Pais e Mães sobre os cortes  nos apoios a crianças portadoras de deficiência e sobre a burocracia a que as famílias são sujeitas pela Segurança Social – muitos papéis e poucas soluções.

Às tantas, um dos membros da assistência incomodado com a vacuidade e abstração vindas das representantes do governo comentou que a responsável da Segurança Social não estava preparada para estar ali. E tinha razão, no twitter íamos comentando isso mesmo.

Surgiu então na timeline a pergunta que se impunha: porque razão o governo não estava ali defendendo as suas políticas num tema de tão grande sensibilidade e importância?

A pergunta circulou e ninguém se lembrava de ver ministros no Prós e Contras.

Procurando nos arquivos aqui do blog encontro em 2012, Fátima Campos Ferreira a queixar-se  de que estava a ser difícil levar ministros ao programa.

Em Maio de 2013, o ministro Poiares Maduro estreia-se no Prós e Contras e em Outubro Fátima Campos Ferreira volta a dar nota de recusas do governo em participar no programa, Em Novembro seguinte tivemos  o ministro Miguel Macedo.

Recuando um pouco, voltamos a encontrar Miguel Macedo no Prós e Contras em Janeiro de 2012, e ainda mais atrás, em 2011, temos  Álvaro Santos Pereira no Prós e Contras  e em Novembro de 2011 o governo mandou ao Prós e Contras um secretário de Estado para debater o orçamento de Estado para 2012.

Se nos lelmbrarmos que quando era oposição o PSD se queixava frequentemente de haver ministros a mais no Prós e Contras, é caso para serem agora os cidadãos a queixarem-se de haver ministros a menos no Prós e Contras.

Não sei se Fátima Campos Ferreira convidou ou não o ministro da Educação ou o da Segurança Social para o debate de ontem. Mas lá que o tema não era para directores gerais ou funcionários, não era. Eram mesmo ministros que deviam estar ali. E não estiveram.

 

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Comunicação e Política, Governo, Sociedade, Sociologia dos Média, Televisão. ligação permanente.