O que fica de um dia assim

O que fica deste dia, em que o 25 de Abril comemora 40 anos?

Talvez palavras…talvez imagens, talvez silêncios…

Palavras dos actores políticos proferidas nos diversos palcos das comemorações, captadas pelos microfones  e reproduzidas nas rádios, nas televisões, nos jornais, nas redes sociais…

Do Presidente, cujas palavras foram aplaudidas por uns e criticadas por outros, e que deixou há muito de unir os portugueses… elogia ou critica o governo, apela a consensos…  mas já ninguém o ouve…

Dos partidos, esgotados nos seus discursos… tão previsíveis e recorrentes…alguém quer saber o que dizem?

Dos protagonistas do 25 de Abril, entre eles os capitães de Abril, inconformados mas impotentes, divididos entre o “valeu a pena” e  a derrocada do sonho de uma democracia  como a sonharam…e que hoje disseram palavras duras e sentidas…

Do povo anónimo que encheu as ruas e celebrou a revolução, de cravo ao peito, cantando e rindo, apesar do regresso da pobreza, do desemprego e do futuro sem esperança… Um povo que pôs cravos, e não balas, na ponta das espingardas…

Dos jornalistas, correndo atrás das palavras, dos sons e das imagens… Emissões televisivas em directo do Carmo e do Tejo, imagens de momentos inesquecíveis de há 40 anos, a história contada daqueles dias e horas e de como ainda hoje nos espantamos recordando  como foi possível derrubar 49 anos de ditadura, de maneira tão fácil e pacífica ….

E o silêncio do governo, neste dia ninguém falou…..um gesto raro de respeito pelo povo..

O que ficará deste dia?

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Uma resposta a O que fica de um dia assim

  1. A.A. diz:

    Na A.R., alimentando o descrédito total deste orgão em que muitos Portugueses se sentem cada vez menos representados, teve lugar a cerimónia mais medíocre da história do 25 de Abril. A marcar esse tom do descrédito político, logo a abrir o discurso do deputado de um partido que nunca foi a votos, José Luís Ferreira do P.E.V., continuando com a enaltecida mas também não eleita, apenas nomeada, mais jovem deputada do B.E. (“100 elementos do BE questionam escolha de deputada”: http://www.dn.pt/politica/interior.aspx?content_id=3388312&referrer=FooterOJ ). A que se seguiram alguns “jovens turcos formados nas jotas”, citando a expressão certeira de J. M. Tengarrinha ( http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=731352&tm=9&layout=123&visual=61 ), à direita e à esquerda.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s