Vai feia a luta pela liderança no PS

Logo de manhã, as rádios repetiam incansavelmente o discurso de António José Seguro aos militantes na Alfândega do Porto.Seguro contra Costa

Com o governo a abrandar a guerra ao Tribunal Constitucional, a guerra de palavras que tomou conta do PS ganha dimensão de grande acontecimento. Vendo bem as coisas, é capaz de essa guerra  ser mesmo um acontecimento importante.

Até agora Seguro lidera o “ataque” verbal, com as suas “tropas” no terreno disparando contra o adversário em todas as frentes. Segundo as notícias, na Alfândega do Porto os “generais”, marcaram presença e teceram “armas” pelo seu “rei”, não poupando o “inimigo”.

Do outro lado, as “tropas” de António Costa mantêm-se na rectaguarda, não ripostar parece ser a estratégia. Prudência, controlo verbal, análise da “situação”, não dividir as hostes, falar “por cima”, não “atacar”.

Vem-me à memória o debate na RTP, nas presidenciais de 1986, entre Soares e Zenha, ambos candidatos na 1.ª volta. Os “irmãos” estavam desavindos e disputavam à esquerda o lugar na segunda volta contra Freitas do Amaral.

O debate foi duro, Zenha, apoiado por Eanes e pelo novo partido, o PRD, usou todas as armas de que dispunha. Foi um ataque quase “mortal” que meteu até “lavagem de roupa suja” do interior do Partido, qualquer coisa sobre quotas de militantes.

Soares, apanhado desprevenido com o tom e a o conteúdo do ataque vindo do seu outrora parceiro de tantas lutas, acusou a surpresa no rosto com indisfarçável tristeza e desarme que as câmaras da RTP captaram à exaustão.

Esse debate favoreceu o atacado e não o atacante. A violência verbal do ataque directo e pessoal não ajudou Zenha. Não foi a “razão” que os portugueses captaram mas sim a “emoção” no rosto do “agredido”.

Lembrei-me disto quando vi e ouvi Seguro na televisão, eufórico, vociferando contra a “deslealdade” de Costa  que “quer o poder” agora que o PS tem a “certeza” de que vai ganhar as eleições legislativas”.

Será que vai ganhar? Se a luta continuar assim tão feia, não sei quem ganhará, seja Seguro a disputá-las ou o “desleal” Costa.

Será que Seguro e os seus apoiantes esperam ganhar ainda que  deixando o partido em frangalhos?

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Comunicação e Política, Política, Sociologia dos Média com as etiquetas , . ligação permanente.

2 respostas a Vai feia a luta pela liderança no PS

  1. Victor diz:

    O Xoninhas Inseguro não apresentando soluções opta pelo ataque. Muito parecido com a cambada da direita portuguesa.

  2. ECD diz:

    Lembro-me bem, nesse debate até o Mario Soares me despertou alguma simpatia. Votei, uma vez sem exemplo, numa catolico militante com carreira feita nas antecamaras da ICAR, na Maria de Lurdes Pintassilgo.Poderia ter votado no Zenha, ao contrarioo do que fiz em relação ao Soares na 2ªvolta, sem problemas.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s