Vitor Bento: de bestial a besta

Vitor Bento entrevista à SIC

Eu tinha a melhor vida possível, liderava uma empresa eficiente que presta um serviço socialmente útil, era bem pago, tinha liberdade e tempo para me dedicar a uma actividade cívica que valorizo muito. Não tinha interesse nenhum em meter-me nesta aventura. Deixei-me convencer por algumas pessoas que era uma missão que implicava um dever quase patriótico — evitar que houvesse uma ‘debacle’ financeira no País. Entendi que devia aceitar o desafio nessas condições apesar de, como referiu, o desafio ter sido colocado num quadro muito menos dramático do que acabou por se verificar“.  (Vítor Bento, entrevista à SIC, 7 Agosto, 2014)

economista-filósofo, segundo  “vários analistas e responsáveis do sector bancário,  era uma “boa escolha”, apesar de nunca ter trabalhado na banca. O seu prestígio  permitiria “segurar” as ondas tumultuosas que rebentaram à volta do BES. 

Mas isso era no tempo em que Vítor Bento era “bestial”. Porém, mercê de uma fuga de informação para o Expresso, este sábado, Vítor Bento passou a “besta” porque, como disseram Marcelo Rebelo de Sousa  e Marques Mendes, devia ter aguentado até o BdP ter tempo de o substituir.

Por sua vez, o BdP não descartou dar uma última ferroada a Vítor Bento, para que se saiba que  quando este aceitou a presidência do Novo Banco sabia que era para vender depressa. Diz o BdP “O Dr. Vítor Bento, o Dr. José Honório e o Dr. João Moreira Rato foram cooptados como administradores do BES com um projeto que foi invalidado pela resolução do banco. Ainda assim, aceitaram continuar na administração do Novo Banco, apesar do diferente mandato”.  

Mas as coisas são como são. No jornalismo, como nas monarquias, “morreu o rei, viva o rei”. O novo presidente do Novo Banco, Eduardo Stock da Cunha, é já considerado “a melhor escolha possível”. Como disse o director-adjunto do Expresso à SICN, o novo presidente “é, de facto, um banqueiro” (como quem diz, isto não é para amadores!)Eduardo Stock da Cunha Novo banco

E assim o economista-filósofo, ex-conselheiro de Estado escolhido pelo Presidente, ex-putativo ministro das Finanças (primeira escolha de Passos Coelho antes de Vítor Gaspar) passou de bestial a besta.

Percebem-se agora melhor os remoques do Presidente Cavaco ao Governo sobre o que lhe foi e não foi dito sobre o BES. O Presidente foi muito provavelmente uma das pessoas que  convenceram Vitor Bento a aceitar o BES e deve ter sentido que afinal perdeu um conselheiro para nada.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Economia, Governo, Jornalismo, Política com as etiquetas , . ligação permanente.

4 respostas a Vitor Bento: de bestial a besta

  1. Pingback: A “vingança” de Vítor Bento | VAI E VEM

  2. cristof9 diz:

    Duas semelhanças entre BPN e BES: Grande incompetencia dos reguladores e quem vai pagar as favas somo nós, os comuns dos cidadãos.

  3. J. Madeira diz:

    Interessante será saber como se conjugará a pressa na venda (quando os principais
    clientes já começaram a sair) com os mais de 4 mil milhões de euros nossos, dos con-
    tibuintes? Embora o novo CEO seja Stock de Cunha! Será que o Ministério Público já
    abriu um processo para acautelar os danos para os contribuintes???

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s