As comissões parlamentares de inquérito como simulacro de uma verdadeira investigação

Submarinos posse da ComissãoA notícia de que a Comissão Parlamentar de Inquérito aos Submarinos dá por findos os seus trabalhos quando ainda  estão  por transcrever 17 audições, mostra bem a inutilidade destas comissões, em termos do rigor da investigação e, consequentemente, da impossibilidade de elas chegarem a conclusões credíveis .

Diz também o Público  que a Comissão que investiga o negócio dos submarinos recusa seguir o rasto do dinheiro o que é bem exemplo de que o que se procura nessas comissões não é um conhecimento cabal dos factos mas sim resultados que não contrariem as convicções da maioria dos deputados que integram a Comissão.

Do ponto de vista metodológico, num caso em que alegadamente houve pagamentos ilícitos impunha-se, no mínimo, seguir o percurso das decisões tomadas em cada fase do processo e o rasto do dinheiro, o que, a crer na imprensa, os deputados da maioria recusam. Investigar casos de enorme complexidade como este, com base sobretudo em audições, sendo que os critérios para escolher  quem é chamado a depôr são influenciados pela luta partidária, inquina qualquer conclusão.

Não se espera que as comissões parlamentares se substituam ao Ministério Público e aos tribunais, nem que se deixem influenciar pelas notícias. Mas se não procuram aprofundar os assuntos então mais vale os deputados ocuparem o seu tempo doutra maneira, já que não faltarão matérias sobre as quais o seu trabalho é necessário.

Como escrevi aqui e aqui não se nega que existe  trabalho por detrás destas comissões parlamentares, quer da parte dos deputados, quer dos que são chamados a depôr. Contudo, os alinhamentos políticos e as posições e intenções de cada partido estão definidos à  partida, o que as desacredita aos olhos dos cidadãos.

Estas comissões valem sobretudo pelo espectáculo televisivo das perguntas e respostas .- as mentiras de uns, os embaraços de outros, as omissões e os silêncios de mais uns quantos. As audições permitem  apreciar a exibição dos deputados que atacam e dos que defendem quem é atacado, constituindo .uma forma de os deputados exibirem as suas capacidades oratórias. O problema é que não raras vezes são instrumentalizadas pelas maiorias que as dominam.

Nesses sentido, as comissões parlamentares de inquérito são um simulacro de uma verdadeira investigação.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Assembleia da República, Comunicação e Política, Política, Uncategorized com as etiquetas . ligação permanente.

2 respostas a As comissões parlamentares de inquérito como simulacro de uma verdadeira investigação

  1. J. Madeira diz:

    Não foi o presidente dessa Comissão que, esteve envolvido no
    famoso negócio dos sobreiros? Esse não era mais um projeto do GES?
    Palavras para quê ? Será que conseguiram identificar o tal jacinto leite
    capelo rego grande doador de vários depósitos de 10 mil euros na conta
    do CDS-PP ??? FANTOCHADA É O QUE SÃO AS COMISSÕES !!!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s