O marido da ministra ou a mulher do ministro são notícia?

A notícia sobre os insultos de um ex-jornalista a um colega no activo não seria, em princípio,  notícia. Mas se o ex-jornalista que insulta o colega for casado com uma ministra e os insultos derivarem do facto de o ex-jornalista pretender que o colega não envolva a ministra sua mulher numa determinada notícia, então o caso muda de figura e justifica a notícia.

Foi o que aconteceu entre o ex-jornalista do Diário Económico, António Albuquerque, marido da ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, e o jornalista Filipe Alves, do mesmo jornal.  A revista Sábado, que relata o caso “em exclusivo”, conta que foi um artigo de opinião de Filipe Alves com o título ‘O que acontece se o Novo Banco for vendido com prejuízo?’  que provocou os insultos de António Albuquerque ao seu ex-colega.

Espanta a violência verbal (com ameaça de violência física – “vou-te aos cornos”) e o vernáculo do marido de Maria Luís. Mais, António Albuquerque não se contenta com os insultos, põe também em causa a idoneidade profissional do jornalista e do director do jornal, a quem acusa de serem  “supostos jornalistas, que não o são, e que se movem para defender interesses económicos”.

Diz a revista Sábado que o jornalista Filipe Alves apresentou queixa na Procuradoria-Geral da República contra o seu ex-colega marido da ministra e, por isso, não quis comentar o caso. A Sábado pediu também “uma reacção ao gabinete da ministra, mas não obteve resposta”.

Ora, o que esperava a Sábado que o “gabinete da ministra” fizesse?  Que desmentisse o marido da ministra? Ou que respondesse em seu nome? É caso para dizer que o contraditório tem limites!

O  caso não passará de uma rixa entre dois colegas, a não ser que o jornalista Filipe Alves consiga provar que a ministra incitou e apoiou os insultos e ameaças do seu marido e que estes foram motivados pelo seu artigo. Nesse caso, estaríamos perante uma forma de coacção indirecta da ministra sobre o jornalista mas, ainda assim, inaceitável.

 

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Comunicação e Política, Governo, Imprensa, Jornalismo, Política, Sociologia dos Média com as etiquetas . ligação permanente.

4 respostas a O marido da ministra ou a mulher do ministro são notícia?

  1. AS MIL E UMA FACES DE UMA TOUPEIRA, VER FACEBOOK

  2. Jorge diz:

    “…Ora, o que esperava a Sábado que o “gabinete da ministra” fizesse? Que desmentisse o marido da ministra? Ou que respondesse em seu nome? É caso para dizer que o contraditório tem limites!…”
    Que desmentisse? Que respondesse em seu nome? Perante a gravidade das ameaças, pedir uma reação ao gabinete da ministra, no contexto da notícia, é caso para dizer que o contraditório tem limites? Que contraditório? Que desmentido?

  3. josecoutonogueira diz:

    Não deve ser fácil para a mulher mais poderosa do país ter um trauliteiro em casa. Claro que ela não pode nem sequer tomar conhecimento oficial das ordinarices do marido, mas que não lhe fica bem à imagem pristina, não fica!

  4. Nuno Costa diz:

    Mas o que é que estavam à espera deste “pessoal”? Estamos a lidar com gente perigosa (não me refiro a Filipe Alves que se limitou a fazer o seu trabalho)… ainda não aprenderam?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s