Pluralismo é no Expresso

Expresso sb gréciaNo Expresso os membros da direcção praticam o pluralismo de maneira exuberante. A Grécia é apenas mais um exemplo de  posições ideológicas radicalmente diferentes entre directores perante alguns dos principais temas da actualidade nacional e internacional.

Noutros órgãos de comunicação social é raro encontrar-se um pluralismo tão exuberante na própria direcção. São geralmente os colaboradores e colunistas externos   a garantirem a diversidade e o contraditório.

Deve ser difícil a um director gerir “vedetas” com opiniões tão vincadas e opostas. Acresce ainda que em matéria de opinião, há no Expresso quem já tenha sido de um “lado” e tenha passado ao “outro”.  Há poucos temas onde se pode identificar uma posição institucional do jornal, ainda que noutros jornais a opinião do director seja determinante para situar o jornal. Mas no Expresso não é assim. O director tem a sua coluna como os outros e nada mais que isso.

Dirigir o Expresso deve ser um pouco como dirigir a selecção nacional. Cada um tem o seu “território”. Juntam-se  em torno de alguns interesses fundamentais (por exemplo, conseguir que o Expresso tenha êxito) mas, à parte isso, cada um tenta valorizar as suas ideias.

Esta “polivalência” torna difícil definir a linha editorial do jornal. Mas, pelo menos, o leitor do Expresso tem a vantagem de encontrar sempre nele posições e opiniões com as quais se identifica. Cada leitor poderá até dizer que algumas dessas posições e opiniões o irritam a ponto de deixar de comprar o jornal. Mas logo outras o entusiasmam de tal modo que o obrigam a comprar o jornal.

Advertisements
Esta entrada foi publicada em Jornalismo, Política. ligação permanente.

3 respostas a Pluralismo é no Expresso

  1. tozezito diz:

    A opinião do Sr. Nicolau Santos deve ser coincidente com a opinião do doutor Artur Baptista da Silva.

  2. Essa coisa das linhas editoriais é como a disciplina de voto. De que me serve ter 100 deputados no Parlamento se todos votam da mesma forma, seguindo as instruções do partido? De que me serve ler um jornal cujas notícias são influenciadas pela tal linha editorial? Num caso e noutro é fundamental que surjam opiniões e ideias diferentes.

  3. Abraham Chévre au Lait diz:

    Um caso,para a estatística: deixei de comprar o Expresso.Eles não sentem a minha falta nem eu a deles. Salut!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s