O saneamento de Santos Silva conheceu novo episódio

Santos SilvaA maneira como a TVI cancelou unilateralmente o contrato que mantinha com Augusto Santos Silva para um comentário político semanal na TVI 24, sem que a direcção de informação tenha explicado publicamente as razões desse cancelamento, não deixa de ser estranha. Já aqui o escrevi.

Hoje, assistimos a um novo e inexplicável episódio denunciado primeiro por Augusto Santos Silva e, posteriormente, confirmado por motivos  técnicos (alteração da emissão) pela própria TVI. Porém, o que lemos sobre o episódio é altamente preocupante.

Santos Silva acusa a TVI de censura, visto que o programa desta terça-feira foi confirmado hoje mesmo  (o cancelamento do contrato tem efeitos apenas no final de Julho), sendo depois cancelado à última hora para ser substituído por um debate sobre a entrevista do primeiro-ministro à SIC. Como se Santos Silva não pudesse ele próprio ser um dos comentadores dessa entrevista. A TVI24, aliás, convidou outro socialista, João Cravinho, para comentar a entrevista (com Ângelo Correia).

Segundo o Público, a TVI24 convidou Fernando Medina como comentador, com uma explicação que causa a maior perplexidade. Diz a TVI na nota enviada à comunicação social, que a escolha de Medina se deve, entre outras razões, ao facto de ser o presidente da Câmara de Lisboa e “uma das mais importantes apostas do PS de António Costa para o futuro do partido”.

Fernando Medina é, sem dúvida, um político de qualidade que tem dado provas de grande rigor e seriedade quer no governo anterior quer na CML. Não tem porém a acutilância e a experiência política de Santos Silva nem a sua familiaridade com o meio-televisão. E por isso é ainda mais estranho que a TVI mande embora um comentador com as qualidades que os directores de informação, de todas as estações, têm definido como essenciais à escolha dos comentadores-políticos, isto é,  notoriedade, experiência e capacidade de exposição em televisão.

Ora, através desta nota da TVI ficou “oficializado” que o critério para a escolha de comentadores-políticos é, afinal, o da sua importância no seio do partido. Percebe-se assim melhor que  sendo Santos Silva um “simples” professor catedrático não interesse à TVI.

Arrisco também uma interpretação para o silêncio dos responsáveis da Informação da TVI – José Alberto de Carvalho, Sérgio Figueiredo e Judite de Sousa. A decisão de despedir Santos Silva só pode ter-lhes sido imposta “de cima”. Se assim for, trata-se de uma interferência ilegal nos poderes do director. Se assim não for, eles o dirão.

Imagino, e não é uma simples conjectura, o que seria se o que se passou com Santos Silva tivesse ocorrido na RTP. Quantos comunicados, protestos, acusações à administração e à direcção, etc., etc. . dos próprios jornalistas, não teriam já vindo a público! Imagino mesmo que se os dois directores acima citados estivessem ainda na RTP já tivessem sido chamados a um dos órgãos de supervisão para explicarem as razões do despedimento do comentador….

É normal e mesmo desejável que os contratos dos comentadores, sejam eles políticos ou de outras áreas, sejam renovados periodicamente. Só assim se garante o pluralismo e a diversidade. Mas não foi isso que aconteceu com a TVI quanto ao contrato de Santos Silva. Trata-se aqui, de uma punição por delito de opinião.

 

 

 

Advertisements
Esta entrada foi publicada em Comunicação e Política, Jornalismo, Política, Televisão com as etiquetas . ligação permanente.

8 respostas a O saneamento de Santos Silva conheceu novo episódio

  1. jazevedo diz:

    já agora, como e quando santos silva tramou os jornalistas? e se o fez quais os motivos? não tenho duvidas que esta medida veio de cima (governo).é o poder da direita a ditar leis.

  2. Não tenho conhecimento nem acredito que Santos Silva tenha promovido ou tenha aceite qualquer tipo de censura enquanto ministro ou noutra situação..

  3. nuno diz:

    Corrigido: Sabe como é que se alçança pluralismo? Não tramando a vida aos jornalistas e facilitando a vida aos directores e patrões, que foi o que Augusto Silva fez na sua actuação enquanto ministro.

    Corridos os mais chatos e incómodos, fica campo aberto ao resto, que ele aí tem berm-servido. É bem-feita, até pq enquanto catedrático (e de sociologia) diz muita asneira e tem um entendimento menor daquilo que é a democracia.

  4. cristof9 diz:

    Cada um clama pela sua dama, não deixa de ser um pouco irónico e hipócrita que o excelente comentador possa ter sofrido do remédio que aceitou bem enquanto ministro e promoveu.
    No entanto acho que tvi é que mais perde.

  5. Nuno, Santos Silva é professor catedrático de sociologia e não de filosofia

  6. nuno diz:

    Sabe como é que se alçança pluralismo? Não tramando a vida aos jornalistas e facilitando a vida aos directores e patrões, que foi o que Augusto Silva fez na sua actuação enquanto ministro.

    Corridos os mais chatos e incómodos, fica campo aberto ao resto, que ele aí tem berm-servido. É bem-feita, até pq enquanto catedrático (e de filosofia) diz muita asneira e tem um entendimento menor daquilo que é a democracia.

  7. jpferra diz:

    acredito que o exemplo que deu da RTP, acontecesse iria ser esse frenesim todo, mas… só se fosse com alguém do PSD/CDS, de contrário penso que teria o mesmo tratamento que este está a ter.

  8. llopes49 diz:

    Já começou ,ou tenho andado distraído ?. Falo de Censura.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s