O problema das fontes “sem rosto”

publico-2015-07-24-4e0740Não é crível que o Público tenha inventado a notícia de que o Banco de Portugal (BdP) denunciou o Montepio ao Ministério Público (MP), para mais sendo a peça assinada por Cristina Ferreira, uma jornalista especializada em economia que já provou ter boas fontes na área.

Porém, o Ministério Público nega que tenha recebido qualquer participação do BdP sobre o assunto de que fala o Público e o Montepio diz também que desconhece qualquer denúncia enviada ao MP e ameaça mesmo processar o jornal “para defender o seu bom nome e credibilidade”.

O Público reagiu a estes desmentidos afirmando que  “Fonte do Banco de Portugal (BdP) ao mais alto nível” confirmou que em “final de Abril deste ano foi enviada para a Procuradoria-Geral da República e para a Unidade de Informação Financeira da Policia Judiciária uma denúncia contra a Caixa Económica Montepio Geral (CEMG), liderada por António Tomás Correia.”

Não sendo crível que o Ministério Público tenha perdido a participação que o BdP diz ter-lhe enviado e que o Montepio tenha sido notificado e não se recorde disso, resta concluir que a fonte do Banco de Portugal que o Público diz ser “ao mais alto nível” tem afinal pouco nível, pelo menos do ponto de vista ético, uma vez que não se coíbíu de, a coberto de anonimato (a jornalista protege-lhe a identidade, assumindo assim a responsabilidade da notícia), de lançar na praça pública uma notícia sensível, que afecta o sistema financeiro nacional.

Pelos vistos, o BdP, cuja credibilidade foi fortemente afectada pelo caso  BES, envereda agora pelas piores práticas na gestão da informação e na sua relação com os media. Se vierem a confirmar-se as versões do MP e do Montepio, o Público terá uma palavra a dizer, incluindo  a identificação da “fonte de alto nível” que o induziu em erro. O Banco de Portugal tem, por seu turno, a obrigação de se identificar e fazer prova do que afirmou à jornalista.

Advertisements
Esta entrada foi publicada em Economia, Imprensa, Jornalismo com as etiquetas . ligação permanente.

3 respostas a O problema das fontes “sem rosto”

  1. j.azevedo diz:

    o governador do bp, é simplesmente um homem de H pequenino,e sem um pingo de vergonha e muito menos competência! este governo de direita faz-me lembrar a malta que vai aos concertos de verão,onde a partir de uma certa hora, está tudo com uma grande pedrada, e só fazem porcaria!

  2. blablazada diz:

    …noto-lhe aqui um tom de esperança – a cristina não…pelo menos a cristina não ia “pintar a manta”…pois o que mais me parece é que as tais “fontes” têm dado para tudo e mais alguma coisa e tb acho que um jornalismo responsável e não só feito de fontes tem que medir e não pode deixar-se manipular no que escreve-diz-mostra…mas que sei eu já caduco e em tempos tão modernos…

  3. Aqui há uns meses o Ministério Público também publicou um comunicado a dizer que não estava a investigar o Sócrates…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s