Uma campanha alegre

Porque haveria o PS de retirar este cartaz?Cartaz PS orginal

Qual é afinal o problema do cartaz? Será que não é explícito quando à mensagem que encerra?

A prova de que a mensagem foi compreendida está no aparecimento de cartazes-piratas com  contra-mensagens, contraditórias entre si: cartaz Costa no céu

Neste cartaz-pirata, a ideia de “confiança” parece não ser deste mundo e Costa surge como aquele que fará o “milagre”.  Outros verão nela a ideia de “promessa”, tão própria das campanhas eleitorais.

Os dois outros cartazes socorrem-se dos dois anteriores líderes do PS -Seguro e Sócrates – para contrariarem a ideia-chave do cartaz original do PS- “tempo de confiança”.  cartaz PS Seguro

Este tipo de humor centrado no PS mostra, desde logo, que o PS preocupa os seus adversários.

Mas, por outro lado, traz à campanha uma nota de criatividade que não ofende nem achincalha. A “estória” contada pelos três cartazes-piratas é uma nova forma de crítica e de sátira política que, como todas as imagens, se oferece ao olhar de quem as vê e se presta a interpretações diversas.
Cartaz PS Sócrates

Também o cartaz de Pacheco Pereira contém uma bem humorada sátira à sua intervenção nos media, muito crítica do governo. O autor do cartaz joga  com o seu passado político, usando uma imagem real do próprio Pacheco Pereira exibida no programa de que é autor na SIC.Pacheco-Pereira-cartaz-falso

Se a alternativa a uma campanha de “casos” ou de insultos é uma campanha de humor, então venham mais cartazes. Temas não faltam e nem se percebe porque não foram ainda glosados: a demissão irrevogável de Portas; os descontos de Passos à Segurança Social; os submarinos e a Tecnoforma, enfim, é só puxar pela imaginação….

Se Eça fosse vivo certamente chamar-lhe-ia “uma campanha alegre”.

Advertisements
Esta entrada foi publicada em Comunicação e Política, imagens, Política, Sociologia dos Média com as etiquetas , . ligação permanente.

Uma resposta a Uma campanha alegre

  1. Luis FA diz:

    É a nova direita! Um coisa que a esquerda ainda não entendeu existir e muito menos como lhe fazer frente. Trata-de dum opositor poderoso que tem muita imprensa na mão, a maior parte dos “comentadores”, dos blogues e blogueiros, e twisteiros… Gente criativa, poderosa a cínica que tem o condão de facilmente demonizar qualquer conceito, escangalhar qualquer ideia, projetar qualquer mentira ou manipular qualquer estatística… Esta “frente conspirativa” tem auto estima alimentada pela conquista do poder, na qual oleou a estratégia da difamação e mentira, não tem escrúpulos e está agarrada ao “pote” (também um termo deles…).
    Contra este poder a oposição e particularmente o PS nada tem, nem gente, nem criatividade nem alma. Apenas moleza e disparate. É por isso que o autoestrada para um resultado eleitoral inesperado há um ano e meio atrás está agora completamente aberto…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s