As desculpas da coligação para Passos não ir a debate com todas as candidaturas

O líder do PSD, Pedro Passos Coelho (D), ladeado pelo seu homólogo do CDS-PP, Paulo Portas, durante a Festa do Pontal

O líder do PSD, Pedro Passos Coelho (D), ladeado pelo seu homólogo do CDS-PP, Paulo Portas, durante a Festa do Pontal

A coligação invoca o n.º 2 do art.º 7. da lei da cobertura eleitoral para inclusão do CDS no debate de 22 de Setembro entre os líderes das candidaturas. Ora, o artigo invocado não sustenta a exigência da coligação. De facto, o citado preceito legal refere-se a candidaturas e não a partidos.

“(…) Artigo 7.º Debates entre candidaturas

2 — A representatividade política e social das candidaturas é aferida tendo em conta a candidatura ter obtido representação nas últimas eleições, relativas ao órgão a que se candidata.  (…)

Como o próprio título do art.º 7.º refere, os debates são entre candidaturas e não entre partidos. O CDS e o PSD juntaram-se numa única candidatura – PaF – com um programa comum e listas comuns de candidatos a deputados.

Como bem recordou Catarina Martins, nas eleições europeias PSD e CDS concorreram coligados e nos debates a coligação foi representada pelo líder da candidatura, Paulo Rangel, não tendo o CDS reivindicado a  presença de Nuno Melo, o n.º 2 da coligação. Porque o faz então agora?

É evidente que se trata de um pretexto para que Passos Coelho não tenha que se confrontar com as restantes candidaturas. Daí que o PSD se tenha associado a uma   exigência do CDS que não tem qualquer justificação legal. Portas é, neste caso, o pretexto ou seja, o “idiota útil”.

É certo que o problema foi criado pela proposta inicial das televisões que abriram o precedente de colocar Portas – número dois da candidatura da coligação de direita- ao mesmo nível dos líderes das restantes candidaturas. Isso deu pretexto à coligação de invocar agora um critério editorial.

Ora, se as televisões consideram que Portas enquanto número dois da coligação deve ser confrontado com representantes das restantes candidaturas têm bom remédio: organizem debates com as segundas figuras das candidaturas.

Não venha é a coligação invocar um artigo da lei que não sustenta a sua pretensão.

Advertisements
Esta entrada foi publicada em Comunicação e Política, Política, Sociologia dos Média, Televisão com as etiquetas , , . ligação permanente.

Uma resposta a As desculpas da coligação para Passos não ir a debate com todas as candidaturas

  1. llopes49 diz:

    Tudo serve para enganar o Zé Povinho ,já chega porra !.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s