A ministra falou aos jotinhas

“O programa todo [do PS] não li. Li algumas coisas daquilo que são os documentos que o PS tem vindo sucessivamente a publicar e alguns comentários sobre os mesmos”.

“Aquilo que me parece merecer maior preocupação é o facto de se voltar a defender um modelo que, manifestamente, não resulta. O consumo interno como motor de crescimento, o aumento da despesa pública como motor de crescimento foi, precisamente, o erro que nos conduziu ao problema de 2011 e isso é uma fonte de preocupação.”

 

Vejamos, então,  os dados da Pordata sobre os resultados da austeridade em Portugal e na Europa: Portugal é o terceiro país que acumula, em percentagem do PIB, maior  dívida pública, a seguir à Grécia e à Itália.

Pordata dívida pública 2

Afinal o  “modelo” que não resulta é o da ministra. Mas ela está preocupada com o modelo do PS que, confessa, não leu “todo”. Mesmo numa universidade a fingir,  a “professora” Maria Luís devia ter enquadrado e fundamentado melhor a “lição”. Por exemplo, devia dizer-lhes que com o seu governo e o “modelo” da austeridade a dívida pública portuguesa cresceu e muito.  E, já agora, dizer-lhes também que em democracia há sempre alternativas.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Comunicação e Política, Economia, Política com as etiquetas , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s