RTP: partir de uma frase partidária para discutir a justiça é uma péssima ideia.

Prós e contras facebook

Na página oficial no Facebook do programa Prós-e-Contras  a frase do eurodeputado do PSD Paulo Rangel, proferida na universidade de verão do PSD e que  mereceu duríssimas críticas dos magistrados do Ministério Público e dos juízes e da qual os próprios partidos da coligação se demarcaram, dá título à primeira edição do programa após as férias, em plena pré-campanha eleitoral.

A ideia de discutir a justiça é uma boa e útil ideia, adequada a uma televisão pública, porque é um dos temas fundamentais para o bom funcionamento do Estado de direito apesar de em Portugal a justiça ser um dos poderes mais opacos e menos discutidos. A conjuntura actual, em que altas figuras políticas estão indiciadas de crimes no exercício de funções, não pode ser inibidora da discussão da justiça e do seu funcionamento.

O que é incompreensível é que a RTP tenha necessidade de justificar a discussão do tema com uma frase demagógica e políticamente comprometida com uma acusação explícita a um dos partidos portugueses, para mais em plena pré-campanha eleitoral.

Conhecendo a seriedade da autora do programa e do director de Informação da RTP só posso pensar que a escolha da frase de Paulo Rangel para mote e apresentação do programa foi mal pensada ou escapou ao  controle de ambos. De qualquer maneira, se quiserem usar citações, é o que não falta. Por exemplo, podem recuperar as reacções de procuradores e juízes. Mas há, evidentemente, muitas maneiras de fazer um bom título para promover o programa.

Discutir a Justiça é uma boa opção. Inspirar-se numa frase partidária é uma péssima ideia.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Comunicação e Política, Justiça, Política, Sociologia dos Média, Televisão com as etiquetas . ligação permanente.

3 respostas a RTP: partir de uma frase partidária para discutir a justiça é uma péssima ideia.

  1. ESTA SRA. NÃO É JORNALISTA, É A MULHER DE RECADOS DO PSD E RESPECTIVOS PARENTES….DOS POUCOS QUE VI E FORAM (2) MESMO ASSIM ACABEI MUDANDO DE CANAL, SÓ UM IDIOTA NÃO PERCEBE O QUE ELA FAZ……O PROGRAMA NÃO VALE UM CENTIME, NUNCA VALEU…..HÁ MUITOS JORNALISTAS COMPETENTES PARA UM BOM PROGRAMA QUE NÃO É ESTE DE CERTEZA……….

  2. Paulo Rato diz:

    Ainda mais péssimo é convidar o director do “Correio da Manhã”. E vai ser supinamente péssimo não contrapor ninguém com TODAS as competências necessárias para levar ao tapete, por KO, esse imbecil e/ou oportunista, imune a qualquer deontologia jornalística. E suspeito que é exactamente isso que se vai passar. A Fátima e a sua equipa, com raras excepções, têm uma desmedida vocação para a asneira, na escolha dos participantes. A noção de “equilíbrio” de opiniões, ideologias ou coisa que o valha roça, não raro, a catástrofe (isto, para tentar ser burguesmente bem-educado e fazer de conta que me esqueci dos nomes dos artiodáctilos…) Ainda estava no Conselho de Opinião quando a coisa se inaugurou e recordo-me de ter começado logo a questionar os estranhíssimos critérios de escolha que, de imediato, se revelaram. Nomeadamente, nas reuniões em que estavam presentes elementos do CA que, algumas vezes, lá tiveram de, relutantemente, concordar comigo. Houve um programa de “Prós e Prós” sobre economia que o Luís Marques até me pedia para “nem lhe falar nisso”…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s