Contra as sondagens, contra líderes europeus como Passos e Rajoy, Tzipras venceu novamente

Muitos não compreendem como foi possível que o  Syriza ganhasse novamente as eleições na Grécia. Não é o meu caso. Sempre acreditei que Tzipras sairia vencedor.

Tzipras lutou até ao fim para evitar a imposição da mesma receita que lançou a Grécia na pobreza e na miséria. A sua persistência na tentativa de convencer os líderes europeus de que a austeridade não tinha resolvido nenhum dos problemas do seu país, antes os agravou, e a tenacidade com que o seu ministro das finanças Varoufakis enfrentou e denunciou a arrogância dos tecnocratas do Eurogrupo, restituíram aos gregos o orgulho perdido e mostraram aos europeus que pela primeira vez um país do sul da Europa era capaz de questionar as políticas impostas pelos parceiros mais ricos.

Tzipras foi capaz de perceber que tinha que fazer escolhas entre sair do euro e lançar o país no caos ou substituir Varoufakis e retomar as negociações, mesmo depois de os gregos terem reprovado em referendo a austeridade, Tzipras escolheu ficar no euro e para isso teve de fazer cedências e negociar com os líderes europeus.

Quando os bancos gregos foram obrigados a encerrar e os gregos se viram constrangidos a levantar dinheiro apenas para as despesas diárias, Tzipras manteve a mesma postura firme e continuou o diálogo no país e na Europa. Viu o Syriza partir-se ao meio, demitiu-se e correu todos os riscos, sempre dando a cara e incutindo confiança aos seus concidadãos.

Hoje, contra as sondagens, contra líderes europeus como Passos e Rajoy que no momento em que a Grécia precisou do seu apoio se aliaram aos tecnocratas da austeridade, Tzipras teve novamente o apoio da maioria dos gregos para governar o País e aplicar um programa que ele sabe que não resolverá os problemas do seu País mas que já anunciou ir  tentar que os castigue o menos possível. Os gregos acreditaram em Tzipras.

Não perceber porque é que Tzipras ganhou é não perceber o que os povos exigem aos seus líderes: Coragem, firmeza, realismo, inteligência, capacidade de fazer escolhas, simpatia, dedicação, numa palavra CARISMA.

Esta entrada foi publicada em Uncategorized com as etiquetas . ligação permanente.

6 respostas a Contra as sondagens, contra líderes europeus como Passos e Rajoy, Tzipras venceu novamente

  1. Miguel diz:

    Que grande pirueta. Quase tão grande como a do próprio Tsipras.

  2. cristof9 diz:

    Tenacidade de Varoufakis? Obrigados a fechar os bancos? Em Janeiro muitos Rajoys avisaram que se queriam ter essa linguagem, tinham que precaver o sistema bancario da fuga de capitais; 50 mil milhoes depois condenaram o tecido económico as dificuldades de terem bancos encerrados. Presumo que depois de votarem não e o Tsipras fazer o contrário, só votaram assim por falat de alternativa. È significativo que trinta deputados siryzicos, nem um conseguiram eleger!! grande legitimidade tinham esses líricos!!

  3. Augusto diz:

    E também contra os ditos sociais democratas europeus.

  4. J. diz:

    Carisma. Disse bem. Coisa que falta aos “nossos líderes” políticos. Nenhum tem, ainda que o Jerónimo e a Catarina despertem simpatias. O Costa, está a trabalhar para isso (esforça-se)! Passos, um desastre e Portas a hipocrisia ambulante.

  5. llopes49 diz:

    Gostei e muito.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s