No “Sexta às nove” assistiu-se a um espectáculo deprimente

Sexta às noveO programa ” Sexta às nove  da RTP3” debateu esta noite as violações do segredo de justiça. O trabalho de investigação feito para o programa foi elucidativo na identificação dos responsáveis de processos em que ocorreram violações do segredo de justiça: um jornalista da revista Sábado, o procurador Rosário Teixeira e o juiz Carlos Alexandre. O programa foi mais longe no estabelecimento de relações entre estes protagonistas, sugerindo proximidade e, implicitamente, promiscuidade na passagem de informação a troco de promoção de uma imagem mediática positiva em entrevistas e peças jornalísticas com citações de “estados de alma”, do “super-juiz”.

Quando o programa passou para o debate com a presença de dois jornalistas e dois advogados, a coisa descambou. Eduardo Dâmaso, director-adjunto do Correio da Manhã, e Felícia Cabrita, jornalista do Sol, abandonaram a posição de jornalistas para se posicionarem ao lado da acusação. Foi então possível verificar até que ponto a discussão sobre o processo Sócrates está inquinada  e extremada. Sandra Felgueiras, a moderadora do programa, foi incapaz de conter a agressividade dos dois jornalistas contra o advogado de José Sócrates, Pedro Delile, que a custo conseguiu falar sempre atropelado por Felícia Cabrita. No final do programa, a discussão extremou-se  com acusações reciprocas entre o advogado e os dois jornalistas.

Independentemente dos argumentos de cada uma das partes, o que choca é verificar a completa ausência de imparcialidade dos jornalistas em questão, que não escondem a sua plena convicção da culpabilidade de José Sócrates sem qualquer concessão ao seu direito à presunção de inocência. Ouvindo estes dois jornalistas percebe-se que o alegado “interesse público” com que justificam a publicação de notícias  nos seus jornais contra Sócrates não é mais do que uma luta que travam para afirmação das suas posições no sistema mediático e na preservação das suas ligações a elementos do sistema judicial de quem são autênticos porta-vozes e de quem dependem para alimentarem um permanente fluxo de notícias sobre o processo. O vigor com que defendem as teses do Ministério Público mostra que a sua luta se confunde com a da acusação e esta precisa de fazer caminho nos jornais “amigos” para que a ajudam a “provar” o que ainda não conseguiu transformar em acusação formal.

É um interesse recíproco o que une os jornalistas empenhados na acusação a Sócrates e os magistrados que precisam que o processo continue nas primeiras páginas dos jornais, alimentando, por um lado, as percepções dos portugueses e, por outro, a convicção dos que irão julgar Sócrates.

Foi um programa muito elucidativo, embora deprimente  para quem espera do jornalismo e dos jornalistas uma conduta que não se confunda com marionetas ao serviço da investigação judicial.

Ouvir Eduardo Dâmaso e Felícia Cabrita falarem do processo como se o tivessem “em casa”, juntando pormenores e referindo-se à vida de Sócrates como se fossem eles os polícias que ouvem as escutas e fazem as buscas, ou os magistrados que fizeram os interrogatórios a Sócrates, é assustador!

 

Esta entrada foi publicada em Comunicação e Política, Jornalismo, Justiça, Política com as etiquetas . ligação permanente.

16 respostas a No “Sexta às nove” assistiu-se a um espectáculo deprimente

  1. Jovinico Mendes diz:

    Começo a acreditar em notícias que há muito correm na internet.
    Felicia Cabrita é uma viciada em droga. A sua maneira arrastada de falar e o afastamento da realidade, a alimentação de mitos e delírios mostram claramente uma pessoa mentalmente perturbada. Quanto a Dâmaso, parece ter tido um AVC. A língua foge para a direita e a fala é já bastante enrolada. Também não se perde grande coisa.

  2. respostas para esta gente que sabe tudo…………. não é preciso

  3. Cidália Carmo diz:

    Sandra Felgueiras como responsável e moderadora do programa “sexta às 9 e às 10”, deve ter mais cuidado com certos “colegas jornalistas???” que convida para os seus programas, tal como aconteceu na noite de 19/12/2015, porquê? Porque não será por acaso que Eduardo Dâmaso tem saltitado nos vários meios de comunicação onde tem estado e a Felícia Cabrita arma-se em investigadora? Mas…ainda está a tempo de enveredar por outra ocupação. É desolador assistir a um programa onde não está o sujeito para o contraditório e haver tanto ódio em seres que deveriam transmitir a verdade e a paz!

  4. Mesmo deplorável e Sandra Felgueiras, não esteve,desta vez, à altura do que é habitual.A tal senhora Cabrita,essa sim ultrapassou a sua capacidade do indecoroso a que nos h abituou.Espero que consigam emendar a mão. porque o Programa,até ontem indiciava algo de muito bom.

  5. António Gaspar diz:

    Este é um assunto que nunca irá ter fim como o “avião de Camarate”. Na altura de eleições virá sempre à tona. Este é um país no qual assusta viver.

  6. lideia santos drummond diz:

    A MALÉFICA CABRITA, ENREDOU UM POBRE HOMEM DE MATOSINHOS PARA O LEVAR A UMA RATOEIRA CONSEGUINDO QUE ELE FOSSE PRESO, Valeu-lhe um Procurador honesto que conhecia o caso do estripador de Lisboa e viu que as provas que a CABRITA ENSINOU O DESGRAÇADO A ESCREVER NUNCA PODIAM SER VERDADEIRAS. Esta brincadeira podia ter-me saído muito cara.

  7. J. Madeira diz:

    Pelo pouco que vi, não tenho a menor dúvida foi um espectáculo deplorável!
    A moderadora não teve mão na condução do programa, assim como os “jorna-
    listas” presentes não mostraram educação e profissionalismo na sua argumen-
    tação mais ao estilo de regateiras!
    Repetirem o que, tem sido publicado nos seus orgãos e, não pode ser considera-
    do como a verdade dos factos dado, não existirem provas factuais de muitas
    das afirmações pois, se existissem já a acusação teria avançado, se fosse crime!
    Finalmente, convém acentuar que ninguém está acima da Lei, todo o cidadão,
    bem como juízes, procuradores e profissionais da comunicação social … sim,
    porque verdadeiros Jornalistas não se prestam a este tipo de devassas, embora
    com a desculpa do tal interesse público, brincalhões e espertos eles julgam ser!!!

  8. C de Cão diz:

    @ AM:

    “1) ‘Sem qualquer concessão ao seu direito à presunção de inocência’… Estude, por favor, para não escrever disparates (eu não devia usar este termo, mas qq outro seria muito pálido…).”

    “Estude” O argumento de quem não os tem. Vejamos quem me lembras… lembras me aquele corrupto da Coelha, que quando não tem argumentos manda “estudar”.

    “2) ‘Interesse… magistrados que precisam…’ Os magistrados não precisam de coisa nenhuma, nem têm interesse no caso, estão no exercício das suas funções. Aliás, de contrário, podiam ser impugnados e removidos a pedido da parte interessada.”

    Os magistrados não estão no exercicio das suas funções quando violam a lei a seu belo prazer sem qualquer respeito pelos principios constitucionais e regras processuais que juraram defender. Criminosos fora da lei portanto.
    Essa de poderem ser impugnados só mostra o quanto desconheces como funciona a justiça mas uma coisa é certa: ainda que isso fosse possivel já se sabe as insinuações que um canalha como tu faria.

    “3) Mas o que é isto, querem fazer de nós parvos, Estrela e tuti quanti? Quem precisa, quem tem interesse, quem tem precedentes pouco recomendáveis e um longo rosário de mentiras… é o arguido Sócrates! É ele o arguido, não é juiz ou procurador. Sócrates não julga, é julgado…”

    Quem tem precedentes pouco recomendáveis é o Juiz e o Procurador que violam a lei e as regras processuais reiterada e persistentemente, acumulam casos em que gente do PS é condenada sem provas e casos com provas em que TODOS os passarões do PSD e do CDS vêem os processos arquivados. É que são mais de 15 anos dessa fantochada. Tu não és parvo, és um idiota que anda a fingir que isto não se passou!

    “4) No fim, veremos o resultado. Até lá, haja vergonha!”

    O fim já foi, era ganhar uma eleição. O resultado está à vista: temos um Ex-PM que já foi condenado sem provas para fazer o PS perder uma eleição e pelos vistos com o apoio de uma corja de canalhas e fascistas sem vergonha na cara. Dos quais tu honrosamente fazes parte.

  9. toni diz:

    No Correio da Manhã só vão aprender a serem jornalistas a sério, a partir do dia que um louco entrar pela redacção a dentro a tiros de zagalote.

  10. Esmeralda Antas diz:

    Valha-me Deus Estrela Serrano! Acho que é o único que me pode valer! Sabe uma coisa? Já que atribui adjectivos tão surreais ao programa de ontem, onde o advogado do Sócrates esteve altamente sem um mínimo de educação, recomendo-lhe o programa “POLÍTICA SUECA”, de hoje na RTP3. Garanto que vai gostar! (Ontem, aquela do advogado começar a tratar o jornalista por tu….foi de mestre! Eduardo Dâmaso não “caiu”! Julguei que a senhora já conseguia fazer comentários independentes, sem amarras. Isso sim, era um contributo precioso da sua parte. Porque, e voltando um pouco atrás, “é fatal como o destino: sempre que o diabo aparece, a vida dói.” Foi o que aconteceu com José Alberto Carvalho a servir de saco de boxe!

  11. Nuno diz:

    Mas a presença daqueles jornalistas lá era para quê?! Para debaterem o segredo de justiça?!! … Deixando a hipocrisia da discussão sobre o segredo de justiça para quem dele tem de tratar e enquadrar , assustado , pareceu-me o advogado de JS . O próprio do visado , o JS , também tem razões para ficar assustado. Mas porventura não ficará: é um animal feroz !

  12. A.M. diz:

    Tenha dó, Estrela Serrano:
    1) ‘Sem qualquer concessão ao seu direito à presunção de inocência’… Estude, por favor, para não escrever disparates (eu não devia usar este termo, mas qq outro seria muito pálido…).
    2) ‘Interesse… magistrados que precisam…’ Os magistrados não precisam de coisa nenhuma, nem têm interesse no caso, estão no exercício das suas funções. Aliás, de contrário, podiam ser impugnados e removidos a pedido da parte interessada.
    3) Mas o que é isto, querem fazer de nós parvos, Estrela e tuti quanti? Quem precisa, quem tem interesse, quem tem precedentes pouco recomendáveis e um longo rosário de mentiras… é o arguido Sócrates! É ele o arguido, não é juiz ou procurador. Sócrates não julga, é julgado…
    4) No fim, veremos o resultado. Até lá, haja vergonha!

  13. cristof9 diz:

    Muito antes dos “juristas” se interessarem pela pegada do socrates já a “maldita” Felicia Cabrita era apelidada de tudo nos média. Reportando-nos a mais valia para o cidadão que o empenho no jornalismo de investigação acarreta, eu tenho por agradecer a gente empenhada como ela.
    Que colegas da comunicação social se manifestem como adversários e até detratores, deixa-me muito desconfiado.

  14. Cândido Arouca diz:

    Branqueia-se assim a imagem de quem não pode nem deve ser branqueado – O Sócrates!

  15. A Vergonha dos argumentos dados pelos produtos desta Ordem da Mediocridade vincou a sua própria falta de educação em termos relacionais como por exemplo o trato que deram ao advogado Pedro Delile.
    Eduardo Dâmaso e Felicia Cabrita são dois formatados na Equação da Mediocridade que traduz que a Ignorância conduz ao Ódio e este à violência sem fundamento

  16. luis Moreira diz:

    Assustador é perceber o que fez Sócrates para ter tanta gente interessada na vida dele. Durante e após a governação. A população sabe e não precisa de provar nada. Basta-lhe ouvir Sócrates.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s