Jerónimo e a beleza de Marisa

Jerónimo de SousaPodíamos arranjar uma candidata mais engraçadinha e com um discurso mais populista”. “São opções e não quero criticá-las”. “Não somos capazes de mudar. Fazemos sempre a mesma opção por uma forma séria de fazer política”. (Jerónimo de Sousa)

Estas palavras de Jerónimo de Sousa provocaram uma pequena tempestade, sobretudo por terem vindas da boca de um dirigente comunista. Hoje, Jerónimo de Sousa desdramatizou a tensão que elas provocaram no Bloco de Esquerda por terem sido entendidas como referindo-se à candidata do Bloco, Marisa Matias.

(…) “não estava a pensar em ninguém em concreto”. “Se alguém se sentiu ofendido, retiro o que disse; já cá não está quem falou. Foi uma imagem em sentido geral. Parece que alguém enfiou a carapuça; se assim entendem, fiquem descansados que eu retiro o que disse.”

O “deslize” de Jerónimo de Sousa tem uma leitura política. Mas significa também, por parte do PCP, a constatação de que as eleições presidenciais são eleições personalizadas, elege-se uma pessoa e não um colectivo. Um candidato e uma candidata valem nesta eleição pelo que representam de ideias e convicções mas também pelo seu carisma, força, talento comunicativo, aparência e força interior.

Não sabemos se Jerónimo se referia à beleza de Marisa, se à sua capacidade de comunicação, se ao vigor com que defendeu as suas ideias. Mas ouvimos, por exemplo, Fernando Rosas, ex-dirigente do Bloco, afirmar na TVI 24 que Jerónimo não se referia certamente a Maria de Belém. Ora,  esta afirmação também dá que pensar. Porque não caberia Maria de Belém na adjectivação de Jerónimo?

O termo “engraçadinha” é, aliás, ambíguo. Marcelo é engraçado (pelas traquinices que lhe atribuem) mas não é “engraçadinho” no sentido que é atribuído à expressão de Jerónimo. Ou será que Marcelo ganhou porque é engraçado?

Falando a sério, não sabemos se a beleza física de um candidato capta eleitores, além de que o conceito de beleza é muito pessoal. Mas se Jerónimo acha que o Bloco subiu porque tinha uma candidata “engraçadinha” (isto é, bonita, inteligente e comunicativa) porque não apostou no mesmo perfil entre os seus camaradas? Dou duas sugestões: João Ferreira e Rita Rato.

Candidatos “engraçadinhos” há-os  em todos os partidos e dos dois géneros. Inteligentes e carismáticos é mais difícil…

 

Esta entrada foi publicada em Comunicação e Política, Política, Presidenciais, Sociologia dos Média com as etiquetas , , . ligação permanente.

2 respostas a Jerónimo e a beleza de Marisa

  1. cristof9 diz:

    È claro que a beleza, como o carisma, a personalidade e a sugestão que a imagem do candidato, a convicção que consegue exteriorizar , contam e muito como é mais que evidente.
    Mas o perder ou ter um mau resultado – do PCP é mais profundo que isso.Deve o comité do PCP interrogar-se porque o BE consegue ganhar em pouco tempo 10% do seu natural espaço. Isto se forem capazes de irem a tempo de se tornarem irrelevantes.

  2. JRodrigues diz:

    Se ouvir a gravação verá que a primeira citação que faz não está correcta.

    Cumprimentos.

    JR

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s