O argumento escondido do PSD

PSD contra OEO deputado do PSD, Leitão Amaro, que ultimamente tem surgido como porta-voz do PSD para as questões financeiras,  esclareceu hoje finalmente a estratégia do PSD quanto à recusa de apresentar propostas alternativas ao Orçamento de Estado para 2016 que foi hoje aprovado pelo PS, pelo BE e pelo PCP. Disse o deputado à RTP:

 “a esquerda queria que o PSD apresentasse propostas para que estas fossem o alvo da discussão e não o “mau” Orçamento.” (ver citação das 11h13)

Esta esclarecedora declaração do deputado do PSD passou despercebida e, até agora, ninguém do PSD tinha assumido o argumento. O próprio líder parlamentar, Luís Montenegro, na intervenção final antes da votação do orçamento voltou a invocar a “coerência” do seu partido, etc., etc., escondendo a verdadeira razão para a não apresentação de alternativas.

Ora, como estamos lembrados, quando António Costa e a sua equipa de economistas apresentaram, pela primeira vez, o cenário macro-económico e depois o programa eleitoral com contas feitas,  ninguém mais quis saber quais eram as propostas da coligação PSD-CDS. As notícias e os debates passaram a ser sobre as propostas do PS, com omissão total  das propostas da coligação PaF, que ninguém conhecia. Os jornalistas levaram para os debates eleitorais  apenas as propostas do PS o que permitiu a Passos e Portas  esconderem as suas, no que contaram com a colaboração de comentadores e de jornalistas de economia.

O PSD percebeu que essa estratégia resultou e que com meia dúzia de “princípios orientadores” e  “garantias” sem qualquer quantificação, os dois partidos se apresentaram  às eleições de 4 de Outubro sem escrutínio das suas propostas. Os resultados foram os que conhecemos. A coligação PaF ganhou as eleições escondendo o seu programa de governo.

Quis agora repetir a receita com o orçamento de 2016, votando contra tudo e remetendo-se ao silêncio. Foi a maneira que encontrou para não dizer que as suas alternativas seriam repetir a receita de cortes em salários e pensões.

Felizmente, o deputado Leitão Amaro deu a conhecer o verdadeiro argumento.

Esta entrada foi publicada em Assembleia da República, Governo com as etiquetas , . ligação permanente.

4 respostas a O argumento escondido do PSD

  1. mariamadalena639@gmail.com diz:

    Nem Bruxelas lhes vale!

  2. Maria Santos diz:

    A única coisa que me deixa completamente descontrolada é alguém considerar-me analfabeta funcional. Politicas e ideias só as que lhes venderam lá fora. Fizeram-no durante 4 anos mas pelos vistos não lhes chegou. Continuam a insistir em fazê-lo, mesmo estando na oposição, o que me leva a pensar que ainda não conseguiram comprar ideias novas.

  3. Fernando Antunes diz:

    Completamente de acordo .

  4. jose neves diz:

    O caso é que a mediocridade dessa gente é tal que não têm uma única ideia menos má sobre o que quer que seja. Governaram com o programa da troika e para darem ares de que eram mais sábios e melhores que esta foram além dela sem saber o que faziam nem os resultados que iam obter.
    Se fossem governo iriam de novo à troika e ao eurogrupo a Bruxelas buscar o programa de governo e usá-lo-iam de novo castigando à bruta os portugueses remediados escudados nas “imposisões de Bruxelas”.
    Não podendo usar o alibi de Bruxelas usaram o alibi dos pulhas; esconder o jogo para continuar a mentir e enganar os ingénuos e ignorantes.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s